Tempo
|

Renascença Ouve +
A+ / A-

14 novembro 2022

Ben-Hur

Carlos Bastos


Em meados do século passado a MGM anunciou que queria fazer um remake de "Ben-Hur" um clássico do cinema mudo de 1925, baseado no best-seller de Lew Wallace. Mas o projeto só andou para a frente depois do filme "Os Dez Mandamentos", da rival Paramount, ter provado que era possível ter lucro com um épico bíblico.

Ben-Hur

Marlon Brando, Kirk Douglas ou Paul Newman poderiam ter ficado com o papel de Charlton Heston e inicialmente o realizador William Wyler também não estava interessado até perceber que “Ben-Hur” poderia superar os "Dez Mandamentos" de Cecil B. DeMille. Ao que parece estes dois titãs de Hollywood não morriam de amores um pelo outro.

Além disso, a MGM ofereceu-lhe o maior salário já pago a um realizador e ainda mais 8% do lucro bruto ou 3% do lucro líquido, dependendo do que que fosse maior. E pronto, contra factos não há argumentos.

Pode conhecer melhor a história de “Ben-Hur”, do seu autor, do livro e dos filmes. É só ouvir.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.