Tempo
|

Renascença Ouve +
Porta Aberta
A+ / A-

Pároco do Campo Grande, Lisboa

Porta Aberta para o Pe Hugo Gonçalves

22/05/2022 • Dina Isabel, António Freire


Nasceu numa família sem grandes ligações à Igreja e foi com os seus amigos em Famões que começou a frequentar a catequese. O seu gosto pelo teatro, nos tempos da faculdade, levou-o a fundar um grupo de teatro com amigos. E, foi dessa forma, através da cultura, que se reaproximou da Igreja. Embora sem nunca sonhar ser padre… nem tal lhe passava pela cabeça. Foi num retiro em Caparide que viria a dar a “resposta definitiva” à Igreja e o seu emprego, tal como o teatro, passaram para 2º plano.

Pe Hugo Gonçalves, pároco do Campo Grande, Lisboa

O Pe. Hugo Gonçalves foi ordenado no dia 02 de julho de 2011, nos Jerónimos e, desde então, tem estado muito ligado à evangelização dos jovens. Nomeadamente, enquanto Prefeito no Seminário de São José de Caparide, ou como autor do musical “Partimos. Vamos. Somos.”, concebido para assinalar os 300 anos do Patriarcado de Lisboa, e cujo elenco foi constituído precisamente por jovens de várias paróquias e movimentos do Patriarcado de Lisboa.

Ou ainda, com a Missão LX, por exemplo; uma missão jovem que começou consigo e que continua a desenvolver agora na Paróquia do Campo Grande, em Lisboa, onde chegou em 2017. A sua paróquia que tem vivido recentemente momentos de grande envolvimento e emoção relacionados com a Ucrânia, com várias iniciativas e viagens solidárias que permitiram levar ajuda humanitária e que, no regresso, de autocarro e de avião, trouxe mais de 2 centenas de refugiados da guerra, para serem acolhidos em Portugal.

Oiça esta edição do Porta Aberta nesta página e aproveite ainda para subscrever o podcast deste e de outros programas da Renascença AQUI.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.