Tempo
|

Renascença Ouve +
A+ / A-

Cantar nos filmes

Carlos Bastos


São 12 meses, 52 semanas, 365 dias (mais um de bónus a cada 4 anos), com milhões de factos estapafúrdios sem efeitos secundários para o seu cérebro. Bem, em princípio. Clique. Coragem, vá lá, clique. Afinal é só Um Dia na História. Não pode fazer mal, pois não?

Cantar nos filmes
Cantar nos filmes

Parece impossível como as histórias dos filmes nos podem fazer rir, chorar, saltar, aplaudir, dançar…

Enfim, os filmes mexem connosco e o que seria dos filmes sem as suas bandas sonoras ou sem som? Se já experimentou ver um filme sem som, obviamente, percebeu que não é a mesma coisa.

Hoje, em Um Dia na História, não vamos falar de super efeitos sonoros, nem de musicais, nem daquelas bandas sonoras inesquecíveis. Hoje vamos falar daqueles momentos inesperados em que os atores começam a cantar e a tocar mesmo que o filme não seja um musical.

Resta saber se se lembra de todos estes momentos. O melhor é ouvir.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.