Tempo
|

Renascença Ouve +
A+ / A-

Sábado, 16 de outubro de 2021

Isabel Figueiredo


Boa noite, 16 de outubro de 2021
Boa noite, 16 de outubro de 2021


Senhor Jesus,
Quantas vezes não desejamos que tudo fosse diferente?
Porque dizemos as palavras que condenamos,
porque os braços não se abrem em abraços, porque perdemos tempo.
Quantos vezes não nos arrependemos daquele silêncio,
de um virar de costas, de passar adiante, sem tempo, sem paciência?
Quantas vezes não desejamos o Teu perdão,
não Te procuramos inquietos, perdidos, sem saber o como voltar atrás.
Mas quando Te encontramos, quanto a Graça se derrama
como água transparente, cheia de vida, capaz de sarar todas as feridas,
quando Te procuramos de coração aberto, tantas vezes dorido, fazem-se novos os dias.
Não como se de um milagre se tratasse, mas porque na humildade
de cada eu pequeno e frágil, ressoam as Tuas palavras,
de perdão, de festa, de partilha. De confiança, de esperança, de vida.
Encontrar o Teu perdão é começar de novo cada dia.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.