Tempo
|

Renascença Ouve +
A+ / A-

Sexta-feira, 23 de julho de 2021

D. António Couto


Boa Noite - 23/07/2021
Boa Noite - 23/07/2021


Cada manhã, Senhor, voltamos a ouvir

A tua música doce a retinir

Nas cordas do nosso humano, humilde, coração.

A voz dos sinos e dos salmos

Abre um sulco de lava incandescente,

Decanta um rio de amor,

Um murmúrio suave,

Desenha um recorte de talha dourada,

Uma toalha branca

Que se estende até envolver todas as coisas.

Habitamos esta breve folha de papiro

Levemente agitada pelo vento.

Respiramos o ar que Tu nos dás,

O teu alento,

O teu Espírito,

Que não se cansa de clamar em nós Ab-bá, Pai.

Tudo tão simples,

Quotidiano,

Cristalino,

Divino!

Falo de um Deus e Pai que,

De manhãzinha,

Se vem sentar na soleira da porta da nossa casa

A conversar connosco mansamente.

Diálogo belo e imenso.

Não falo de uma hipótese distante,

Colocada na origem do mundo.

Falo de um Deus e Pai,

Falo com um Deus e Pai

Que nos ama com ternura

E passa o tempo todo à nossa procura.

Faz que nós saibamos, Senhor,

Corresponder ao teu amor.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.