Tempo
|

Renascença Ouve +
A+ / A-

Conteúdo Patrocinado

5 dias para conhecer a Beira Baixa

30-04-2021 • Ana Marta Domingues , Renato Duarte


Este ano as suas férias vão ser em Portugal e vão ser inesquecíveis. De 3 a 7 de maio a autocaravana da sua rádio, com o Renato Duarte, percorreu os 6 municípios da Beira Baixa e deu a conhecer uma região que espera por si. Embarque aqui num tour incrível ao coração da Península Ibérica. Prepare-se para conhecer a Beira Baixa com a Renascença.

O verão ainda não chegou mas os dias de primavera já pedem planos e esta é mesmo a altura ideal para programar as suas férias. Pronto para algo totalmente diferente este ano? O Renato Duarte tem um desafio incrível para si. E para lhe provar que o desafio vale mesmo a pena, vai ajudá-lo a programar umas férias inesquecíveis para toda a família. Pode seguir viagem já a partir de segunda-feira com o nosso repórter para começar a planear dias únicos no seu país.

Estas sugestões são para 5 dias mas pode escolher ficar mais ou menos tempo. O percurso, sempre de autocaravana e muitas atividades programadas, vai do rio Tejo às aldeias pitorescas, de Oleiros a Penamacor, passando por Idanha-a-Nova, Vila Velha de Ródão, Proença-a-Nova e Castelo Branco. O convite é para percorrer os céus e os passadiços, nadar em praias fluviais, conhecer tesouros do nosso património e descobrir os melhores lugares para comer e dormir.

Já está curioso? Oiça aqui neste artigo as reportagens n'As Três da Manhã e no Turno da Tarde. O Renato Duarte contou tudo ao vivo e em direto na Renascença.

Uma grande aventura com apoio da Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa no âmbito do projeto Beira Baixa: 3 Dias - 3 Experiências, em parceria com o Turismo Centro de Portugal e cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia.

Saiba mais e planeie já a sua próxima viagem no site oficial: beirabaixatour.pt.

Leia aqui também o diário de bordo de cada dia. E veja o video com o resumo desta viagem incrível:

5 Dias para Conhecer a Beira Baixa
5 Dias para Conhecer a Beira Baixa

1º Dia - Um oásis de História Natural:

A aventura do repórter da Renascença começou num lugar onde os vestígios da nossa História Natural têm mais de 310 milhões de anos, o novo Parque do Barrocal. Uma beleza de cortar a respiração onde só o barulho dos pássaros quebra o silêncio. Com uma paisagem granítica característica feita de rochas geradas nas profundezas da Terra, mas moldadas e expostas por centenas de milhões de anos de movimentos tectónicos e períodos climáticos, o Barrocal é um verdadeiro oásis de História Natural a descobrir em Castelo Branco.

Comece já a sonhar com a sua viagem à Beira Baixa, pode marcar tudo aqui.

Recorde aqui a reportagem do Renato Duarte n'As Três da Manhã. Conheça o parque e oiça a conversa com Hélder Henriques da Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa (CIMBB) na primeira paragem deste roteiro:

O primeiro dia ficou completo depois do Renato navegar e apreciar a paisagem que conduz os visitantes do Monumento Natural das Portas de Ródão até à visualização das gravuras rupestres. Desta vez o guia foi Vasco Fernandes que faz passeios de barco pela região e mostra o que esta terra tem de único e também de inesquecível. Uma beleza natural difícil de descrever, fácil de imaginar e que pede mesmo a sua visita à Beira Baixa. O Cais Fluvial é imperdível!

2º Dia - Entre o Céu e a Terra:

Depois de um ótimo jantar em Vila Velha de Ródão e uma noite bem dormida, o repórter da Renascença madrugou para levar a sua autocaravana de regresso a Castelo Branco.

O início deste segundo dia ficou marcado por uma forma única de ver a beleza natural e histórica da região: o balão da Beira Baixa fê-lo sobrevoar a cidade às primeiras horas da manhã na companhia de Hélder Henriques da Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa e do Presidente da Câmara, José Augusto Alves.

No final de Agosto, de 30 de Agosto a 4 de setembro, um evento de balonismo organizado pela CIMBB vai sobrevoar os céus da região e o balão da Renascença também vai marcar presença. Um festival a não perder.

Lembre-se: para saber onde dormir e comer o cabrito, o borrego, a tigelada, basta marcar tudo em beirabaixatour.pt.

Das colchas e bordados de Castelo Branco às exposições dos artistas da terra, no Museu Cargaleiro e no Centro de Arte Moderna, passando pela gastronomia, vale a pena ouvir de novo a conversa desta manhã para saber mais sobre a região:

O Renato Duarte continua a aventurar-se por terras beirãs.

Sobrevoar a Beira Baixa de balão abre o apetite. A seguir a um almoço maravilhoso de Bochecha de Porco, era imperiosa uma sesta na autocaravana. Planear os momentos de descanso também é importante, não se esqueça deles quando visitar o site para marcar a sua visita à região em beirabaixatour.pt.

O passeio da tarde leva-nos ainda aos saberes e sabores beirões, ao famoso Lagar de Varas, ao afamado azeite de Vila Velha de Ródão e ao regresso a uma paisagem natural que é monumento nacional.

Na tarde deste segundo dia o encontro estava marcado com Luís Pereira, Presidente da Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa e da Câmara de Vila Velha de Ródão. Foi num miradouro com vista para o Tejo que ficámos a conhecer a incrível história do Rei Wamba, de cujo castelo se encontram ainda os vestígios na margem do Rio.

Pode visitar a zona e imaginar como seria nesses longínquos anos de 600 em que as lutas com os mouros e as grandes histórias de amor deixaram lendas que perduram até aos dias de hoje.

3º dia – Da praia fluvial à Aldeia de Xisto

O terceiro dia de viagem da Renascença pela Beira Baixa começou numa das 5 mais bonitas praias fluviais da região, a praia fluvial de Fróia em Proença-a-Nova. Para saber mais sobre a fauna e flora da região vale a pena levar a família a visitar o Centro de Ciência Viva.

A guia do Renato Duarte nesta manhã foi Fátima Gonçalves, técnica de turismo da Câmara Municipal que acabou por ser também repórter da manhã na Renascença... É que apesar do frio a água estava mesmo apetecível. E não é que o repórter mergulhou?

De tarde esperava-nos a Joana Pereira na Aldeia de Xisto de Figueira. Guardiã e guia dedicada da aldeia, a Joana Pereira conhece cada rua e cada parede de cada casa. No restaurante dedica-se a fazer e a servir o que se faz na terra e o que aprendeu com os mais velhos: maranho, queijo de cabra, o cabrito, a tigelada, o pão feito no forno comunitário que continua a alimentar as 10 famílias que ali vivem. Uma comunidade viva numa aldeia tipicamente portuguesa que mantém as suas tradições.

Uma tarde inesquecível para o repórter da Renascença como pode confirmar pela reportagem do Renato Duarte:

4º Dia- Dos Passadiços ao Cabrito Estonado

O percurso da nossa autocaravana, conduzida pelo repórter Renato Duarte, segue viagem pela Beira Baixa. Hoje acordamos em Oleiros.

O nosso companheiro de viagem é Paulo Urbano, vereador da Câmara habituado a grandes caminhadas. Vale a pena, nas suas férias nesta região, estacionar a autocaravana como nós e fazer o percurso dos passadiços a pé. São 9kms que se fazem bem em família mas prepare-se para grandes subidas, pois só assim poderá apreciar a incrível paisagem da GeoRota do Orvalho. Pelo caminho, sempre sinalizado, vai encontrar sítios onde descansar e recuperar energias com um picnic, por exemplo. Também vai poder tomar um banho refrescante se quiser, por isso é sempre melhor levar um fato de banho na mochila.

Inserindo-se no território Geopark Naturtejo, este roteiro con­templa a passagem pelos geomonumentos classificados pela UNESCO que existem na freguesia de Orvalho. O percurso convida ao mais puro reencontro com a Natureza. Por entre monumentos geológicos, monoculturas de pinheiro bravo e algumas manchas de oliveiras, vai encontrar também medronheiro, azinheira e sobreiro. O verde das árvores e da vegetação, a cor da terra e das pedras, é apenas interrompido pelo cantar dos pássaros e o som forte da água a cair. As cascatas de fraga da Água d'Alta são 25 m de desnível vencidos por uma sucessão de três véus de água.

Quem fizer este passeio merece bem no final ir provar o famoso cabrito estonado. Não perca a reportagem do Renato Duarte esta tarde, diretamente da cozinha da Adega dos Apalaches. Recorde aqui o passeio pelos passadiços de Orvalho:

A viagem do repórter Renato Duarte continua em Oleiros. É nestas terras da Beira Baixa que nascem e são criados os cabritos que aos 45 dias são transformados na iguaria gastronómica genuína deste ter­ritório: o "cabrito estonado". O Renato esteve na Adega dos Apalaches onde o Chef André Ribeiro nos falou dos segredos deste prato tão apreciado na região e Prémio 5 estrelas pelo segundo ano consecutivo. Fique a saber também que a tigelada é a sobremesa a pedir se quiser provar esta iguaria, o doce de eleição nestas terras beirãs.

5º Dia - Do silêncio do convento à produção das marafonas

Penamacor marca o passeio matinal deste último dia de Tour pela Beira Baixa.

A zona histórica, o Museu Municipal, a Igreja da Misericórdia e a Igreja de Águas desenhada pelo arquiteto Nuno Teotónio Pereira merecem bem uma visita e, claro, se conseguir marcar, não deixe de visitar o Convento de Santo António. Datada do século XVI, o interior da sua igreja franciscana surpreende mesmo: pelo brilho da talha que reveste o altar-mor e o púlpito, de cunho barroco, os dois altares laterais, ambos de feição clássica e pelo tecto de caixotões decorados com motivos tipicamente barrocos. Há muitas curiosidades, entre elas aquela que se pensa ser a primeira representação de alguém com óculos numa pintura. As curiosas pinturas orientalistas, talvez relacionadas com o papel evangelizador dos franciscanos no Extremo Oriente, podem ser vistas no cadeiral do coro. Na sacristia sobressaem os quadros de episódios da vida de Santo António. Há ainda a ver as figuras dos patronos São Francisco e Santo António e uma de Nossa Senhora da Conceição.

Pode ouvir de novo a conversa do Renato com João José Cunha, Provedor da Misericórdia desta região que desde meados do século XX tem a seu cargo o cuidado do convento.

Monsanto, no sexto e último município que visitamos neste tour, Idanha-a-Nova, foi a última paragem destes dias inesquecíveis. Amélia Mendonça guiou o Renato por esta terra que, como diz Amélia, "é do mundo". Vale a pena ouvir o testemunho desta senhora que garante que as pedras de Monsanto falam. A Amélia é também quem nos conta a história das marafonas, à venda na sua loja de artesanato e que, segundo a lenda, terão poder para afastar as trovoadas e chamar a fertilidade.

Uma conversa deliciosa que tem mesmo que ouvir aqui:

Viaje ao coração da Península Ibérica e conheça a Beira Baixa:

Conheça a Beira Baixa
Conheça a Beira Baixa
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.