Tempo
|

Renascença Ouve +
A+ / A-

Quarto do Fundo

"Podemos nem nos aperceber dos pensamentos negativos, mas eles afetam a nossa saúde"


É o que garante a psicóloga Rute Agulhas em conversa com a Carla Rocha no "Quarto do Fundo", um espaço em que se abordam os problemas da mente, uma forma de não fazer confinamento dos pensamentos e das emoções, numa parceria da Renascença com a Ordem dos Psicólogos. Veja a entrevista.

Veja também:


Rute Agulhas, psicóloga especialista em Psicologia Clínica e da Saúde, explicou esta sexta-feira no programa da Renascença “Quarto do Fundo” que a saúde mental “vai ter um papel fundamental daqui para a frente”, perante os efeitos da pandemia de Covid-19 nas pessoas. E lembra que temos de estar atentos a dois grupos: “As pessoas que já tinham perturbações do foro da saúde mental e pessoas que não as tinham e passaram a ter ou podem ainda vir a desenvolver no médio, longo prazo”.

"Nas situações de stress, como esta que estamos a viver, os pensamentos negativos são rápidos e são automáticos, podemos nem nos aperceber deles, mas afetam a nossa saúde mental e até física. É bom olhar para estes pensamentos negativos e fazer de ‘advogado do diabo’ dos pensamentos, é bom perguntarmo-nos: ‘Porque é estou a pensar desta forma?’”, explica Rute Agulhas.

A psicóloga rejeita teorias catastrofistas, de que “o mundo vai acabar e vamos todos morrer” e sobre isso sugere que nos confrontemos com esses pensamentos e questionemos de onde vêm.

“Mas que provas temos deste tudo ou nada? No fundo, temos de ser realistas, mas manter um otimismo realista. Neste contexto também é válido pensar por que outras crises é que já passámos no passado e perguntarmo-nos: ‘Como sobrevivi a essas crises? Que ferramentas encontrei?’ Porque muitas vezes temos recursos para lidar com as situações e devemos valorizá-los.”

Veja aqui a entrevista na integra:

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.