Fernando Medina-João Taborda da Gama
O presidente da Câmara de Lisboa e um professor universitário (especialista em direito fiscal) a viver na capital olham para os principais temas da atualidade. Às terças e quintas, às 9h15
A+ / A-
Arquivo
Fernando Medina e João Taborda da Gama - Problemas nos transportes públicos - 23/05/2019
Fernando Medina e João Taborda da Gama - Problemas nos transportes públicos - 23/05/2019

F. Medina

Medina quer gestão da ferrovia na Grande Lisboa

23 mai, 2019 • Redação


Presidente da Câmara de Lisboa diz que problemas nos transportes públicos são resultado de muitos anos de desinvestimento.

O presidente da Câmara de Lisboa defende que a gestão da ferrovia na zona passe para a tutela da Área Metropolitana de Lisboa.

“Nós propusemos ao Governo que era importante que a Área Metropolitana [de Lisboa] pudesse assumir competências relativamente à gestão do meio da ferrovia e todos os meios pesados”, disse o Fernando Medina, no espaço de debate do programa da Renascença “As Três da Manhã”.

Os problemas nos transportes públicos foram o principal tema de discussão neste espaço, no dia que se registam novas dificuldades nas ligações fluviais entre as duas margens do rio Tejo.

“O país e a Área Metropolitana de Lisboa estão a sofrer um desinvestimento na área do transporte coletivo durante muitos anos”, acrescentou Medina.

Já o professor universitário João Taborda da Gama considera que “os transportes públicos estão à beira do colapso, nas áreas metropolitanas, sobretudo em Lisboa, porque vão ter um desejável maior afluxo com esta medida de reduzir o preço dos passes”.

“É preciso perceber qual é o modelo de gestão para que isto sirva melhor as pessoas”, rematou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.