Da Capa à Contracapa
Os grandes temas da actualidade em debate aos sábados, às 9h30. Uma parceria da Renascença com a Fundação Francisco Manuel dos Santos.
A+ / A-
Arquivo
Da Capa à Contracapa - Cidadania e ambiente - 23/03/2019
Da Capa à Contracapa - Cidadania e ambiente - 23/03/2019

​Da Capa à Contracapa

“Agenda do clima tem que estar na agenda todos os dias”

23 mar, 2019 • José Pedro Frazão


O programa desta semana é dedicado à cidadania e ao ambiente. Sofia Guedes Vaz e Alfredo Cunhal Sendim falam dos protestos dos jovens contra as alterações climáticas e em defesa do planeta.

Em tempo de seca e de protestos juvenis, Sofia Guedes Vaz e Alfredo Cunhal Sendim falam de cidadania e ambiente na edição desta semana do programa Da Capa à Contracapa.

Sabem que defender a natureza e o meio ambiente é dever consagrado na Constituição. Sentem que cuidar da “casa comum” é responsabilidade ética e religiosa. Mas, no dia a dia, quantos portugueses estão conscientes de que a preservação do planeta é uma questão de sobrevivência, que proteger os recursos naturais do seu país é um exercício de cidadania?

A investigadora Sofia Guedes Vaz e engenheira ambiental de formação, doutorada em Filosofia da Natureza e do Ambiente. É autora do ensaio “Ambiente em Portugal”, publicado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS).

Alfredo Cunhal Sendim é engenheiro zootécnico de formação. Tornou-se nas últimas décadas uma figura de referência internacional para quem se dedica à agricultura biológica. Gere a Cooperativa de Usuários do Freixo do Meio, uma herdade e comunidade onde se recupera o montado alentejano e onde exerce agroecologia.

O Da Capa à Contracapa é um programa da Renascença em parceria com a Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS) para ouvir sábado, às 9h30, e sempre que quiser em podcast e em rr.pt

O Brasil hoje
07 set, 2019

O Brasil hoje

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.