Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

Para a história

11 fev, 2019 • Opinião de Ribeiro Cristovão


A “nova equipa” comandada por um “novo treinador” voltou a um plano superior que lhe permite voltar a ombrear com o Futebol Clube do Porto

Depressa correu mundo a notícia sobre o vendaval que ontem varreu o estádio da Luz, onde o Benfica infligiu ao Nacional da Madeira a mais pesada derrota registada no campeonato nacional que decorre.

A “nova equipa” comandada por um “novo treinador” voltou assim a um plano superior que lhe permite voltar a ombrear com o Futebol Clube do Porto que, por sua vez, voltou a ceder pontos numa deslocação que se antevia complicada e que nos mostrou a imagem de uma equipa menos contundente e demais baixa capacidade de concretização.

Percorrendo a história constata-se que uma vitória do Benfica por uma dezena de golos apenas aconteceu vai para cinco décadas. E por isso este triunfo também tem para a família da águia um significado muito especial. Porém, o que fica como mais importante é o sinal deixado de um relançamento susceptível de dar maior alento à equipa de Bruno Lage ao permitir uma aproximação mais substantiva ao Futebol Clube do Porto na tabela classificativa.

Além disso a jornada somou bastos motivos de interesse.

Registo para a difícil vitória do Sporting de Braga, no seu estádio, frente ao Desportivo de Chaves, tornando assim possível a manutenção dos minhotos num confortável lugar no pódio.

E, igualmente, para o triunfo do Sporting Clube de Portugal em Santa Maria da Feira onde, mesmo sem colocar brilho na sua actuação, conseguiu aquilo que para o seu treinador acabou por ser o mais importante, isto é, a conquista dos três pontos.

Pelo meio vamos ter a seguir o reatamento das competições europeias da UEFA, onde três equipas nossas vão representar o futebol português.

Um bom teste para se poderem confirmar ou desmentir os momentos vividos pelo FC Porto, Benfica e Sporting Clube de Portugal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.