|
Jacinto Lucas Pires-Henrique Raposo
Um escritor, dramaturgo e cineasta e um “proletário do teclado” e cronista. Discordam profundamente na maior parte dos temas. À segunda e quarta, às 9h15
A+ / A-
Arquivo
Jacinto Lucas Pires e Henrique Raposo - Violência Doméstica - 06/02/2019
Jacinto Lucas Pires e Henrique Raposo - Violência Doméstica - 06/02/2019

H. Raposo

Violência doméstica. Morrem mais mulheres "per capita" em Portugal do que nos EUA

06 fev, 2019


“Portugal não é de brandos costumes, não somos um povo especial, mais brando e mais doce do que os outros”, diz o comentador da Renascença Henrique Raposo.

O comentador da Renascença Henrique Raposo mostra-se muito preocupado com a situação da violência doméstica em Portugal. “No contexto de violência doméstica, morrem mais mulheres ‘per capita’ em Portugal do que nos Estados Unidos da América”, diz.

Em causa estão os mais recentes números sobre este fenómeno. Só no primeiro mês deste ano, morreram nove mulheres, o que equivale a quase um terço do número total de vítimas em todo o ano de 2018.

“Acho que só muda quando, nós, portugueses, revisitarmos as narrativas que temos sobre nós”, diz Raposo, acrescentando: “Portugal não é de brandos costumes, não somos um povo especial, mais brando e mais doce do que os outros”.

O escritor Jacinto Lucas Pires concorda que o problema da violência doméstica tem uma vertente relacionada com a cultura portuguesa, mas sublinha também que, tal como na questão dos fogos florestais, “falta coordenação no terreno”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joel
    07 fev, 2019 Porto 00:24
    Enquanto os psicólogos da treta continuarem a olhar para este fenómeno como uma questão de género masculino, muitas mulheres irão morrer. Vejam o filme "Ted" com olhos de ver!! É lamentável que esse filme continue a passar na televisão como sendo um filme para crianças!! Só pergunto, no fim afinal qual dos dois estava mais dependente?? Meninas vejam o filme Ted!! O que não falta por esse país fora na segurança social, nos lares, e em tudo que é assistência social, são DOUTORAS!
  • Monica
    06 fev, 2019 Lousado 16:54
    Olá boa tarde Falo de uma experiência minha por várias vezes liguei para a polícia a denunciar dos meus vizinhos do andar de cima em que as discussões e agressões eram uma constante com os filhos e a mulher a gritar e a pedir ajuda . Quando a polícia chegava acabavam e no outro dia passavam de braço dado e viravam a cara como eu me tivesse metido onde não devia , acabei por desistir de ligar a polícia. Penso que este problema é muito cultural as mães ainda dizem filha aguenta que eu atua avó a tua bisavô a tua tetravós também aguentou e tu vais aguentar e as tuas filhas também é muito triste mas esta é a nossa realidade . Beijos👸