Jacinto Lucas Pires-Henrique Raposo
Um escritor, dramaturgo e cineasta e um “proletário do teclado” e cronista. Discordam profundamente na maior parte dos temas. À segunda e quarta, às 9h15
A+ / A-
Arquivo
Jacinto Lucas Pires e Henrique Raposo - Crise no PSD - 14/01/2019
Jacinto Lucas Pires e Henrique Raposo - Crise no PSD - 14/01/2019
H. Raposo

"PSD em crise é a normalidade da nossa democracia"

14 jan, 2019


Henrique Raposo considera que a crise no partido era "inevitável". Já Jacinto Lucas Pires diz que ganhe quem ganhar a disputa do PSD, o partido vai sair mais fraco.

Henrique Raposo diz que o "PSD em crise é a nomalidade da nossa democracia". É a leitura do comentador da Renascença face à cada vez maior contestação ao líder do partido, Rui Rio. Na sexta-feira, o antigo líder parlamentar do PSD Luís Montenegro manifestou disponibilidade para se candidatar à liderança e desafiou Rui Rio, que completou no domingo um ano de mandato, a convocar eleições diretas antecipadas de imediato.

"Era inevitável", diz Raposo, considerando que Rio tem sido mais "um ministro sobra de António Costa" do que um líder da oposição.

"O líder da oposição tem de ser um bulldog e isso não está a acontecer", acrescenta.

Já Jacinto Lucas Pires diz que ganhe quem ganhar a disputa do PSD, o partido vai "sair mais fraco".

"Marques Mendes consegue ver nisto uma clarificação, eu só vejo confusão", remata o escritor.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    15 jan, 2019 Lisboa 15:00
    RR não se mostrou combativo o suficiente. Mas Luís Montenegro não está nisto para ser melhor, mas para segurar os lugares do aparelho, na assembleia da Republica. É RR que vai elaborar as listas de deputados às eleições e há muito boa gente, que já percebeu que vai para o desemprego, logo é preciso remover RR e por no lugar dele, um elemento do aparelho Passista. Sintomático é aparelhistas que andaram calados no ultimo ano como Maria Luís Albuquerque, Paula Teixeira da Cruz e afins, andarem agora a sair debaixo das pedras onde estavam e começarem a manifestar-se ...
  • Vitor
    14 jan, 2019 Porto 15:19
    Com esta conjugação de quereres q deixaram de apresentar as causas fraturantes agressivas sabemos que os únicos lideres partidários contra a EUTANÀSIA são O PCP e CDS portanto faz todo o sentido a saída de RIO q acumula o descontentamento dos sócios e simpatizantes em todo o Pais do FCP.A próxima junção governativa poderá ser o pequenito PSD,PS e o bébé BE.Ficando na oposição PCP e CDS.