O Mundo em Três Dimensões
Números que contam histórias de segunda a sexta-feira (05h40, 17h50 e 21h05).
A+ / A-
Arquivo
O Mundo em Três Dimensões - Ásia- 2018/01/14
O Mundo em Três Dimensões - Ásia- 2018/01/14
Mais Opções
Partilhar
O Mundo em Três Dimensões

Ásia, o continente dos gigantes

14 jan, 2019 • André Rodrigues , Paulo Teixeira (sonorização)


Na Rússia, 78% da população vive na parte europeia do país. Na China, transladam um hotel em 40 horas.

Há sítios no mundo em que os números são, por si só, impressionantes. E, normalmente, aqueles que nos chamam mais a atenção remetem-nos para a exorbitância.

A Rússia é um país de dez mil quilómetros com 11 fusos horários. Só a parte europeia da Rússia, que corresponde a 25% do território total do país, tem onze vezes mais habitantes do que Portugal.

Apesar dessa região ser apenas um quarto do país, a população que lá habita representa 78% do total da população russa, com 110 milhões de pessoas.

Os restantes 31 milhões de cidadãos russos vivem nos 75% de território que integram o continente asiático.

A Ásia é composta pelos maiores países, alguns são os mais populosos do mundo.

Na China, um hotel de cinco mil toneladas foi transladado em 40 horas, ou seja, menos de dois dias em contínuo. O que, na verdade, aproximam-se do tempo médio de trabalho em Portugal, no espaço de uma semana.

A deslocação do hotel foi apenas de 35 metros e meio, numa operação extremamente delicada que recorreu à mais apurada tecnologia de movimentação de edifícios.

Além das cinco mil toneladas de peso físico, este hotel tem um inestimável peso histórico: foi construído em 1954, e foi o primeiro a abrir as portas a cidadãos estrangeiros depois da revolução que fundou a República Popular da China em 1949.

Tem apenas três andares e 3.8 mil metros quadrados. Mantém-se intacto na estrutura e na fachada para preservar a memória.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.