Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

​A caminho da Arábia

09 jan, 2019 • Opinião de Ribeiro Cristovão


Depois da rocambolesca saída do Benfica tudo aponta para o treinador Rui Vitória não fique muito tempo inactivo.

A sua saída para a Arábia Saudita perfila-se como a possibilidade mais efectiva no curto prazo, esperando-o naquele país asiático um clube prestigiado, o Al-Nassr, actualmente no segundo lugar da classificação do seu campeonato, separado por três pontos do líder da tabela, o Al Hilal Riyadh que, como se sabe, é também orientado por um técnico português, Jorge Jesus.

O campeonato saudita atingiu exactamente o fim da primeira volta com a realização da décima-quinta jornada de uma competição que tem uma calendário de trinta jogos distribuídos por vários meses.

Não foram pacíficos os últimos tempos numa casa que habitou durante mais de três anos.

Depois de seis troféus ganhos nesse período, e de se ter perfilado como o treinador do tetra, a situação começou a degradar-se por força de alguns maus resultados e de muitas más exibições do Benfica, que já tinham instalado um acentuado clima de mal-estar entre a sua massa associativa e adeptos.

Porque nada disto beliscou a qualidade de Rui Vitória eis que de imediato o chama um convite muito tentador: para além do prestígio do Al-Nassr em todo o Médio Oriente, o contrato com o ex-treinador do Benfica é também muito apelativo. Vitória irá auferir uma verba a rondar os oito milhões de euros/ano, sem a carga fiscal que por cá tanto atormenta os homens do futebol.

Rui Vitória merece este crédito e vai certamente justificar este investimento dos sauditas.

Trata-se de um treinador competente, dedicado ao seu trabalho, sério, e nada dado a criar conflitos nas suas relações.

Há por isso motivos bastantes para que lhe desejamos boa sorte.

Artigos AnterioresRibeiro Cristovão
 

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.