Auto-rádio
O mundo da mobilidade (segundas e quartas, às 16h40)
A+ / A-
Arquivo

Hyundai Kauai Electric – Do Porto até Beja sem carregar a bateria.

18 dez, 2018 • José Carlos Silva


O Hyundai Kauai Electric tem uma autonomia de 449 quilómetros, o que é bastante aceitável num veículo totalmente elétrico.

O Hyundai Kauai, pisca o olho aos clientes que apostam nas atuais tendências do mercado: Aos Sport Utility Vehicle, e aos veículos amigos do ambiente.

Candidato a carro do ano, e na categoria de veículo ecológico, tem o preço no meio da escala entre o Mitsubishi Outlander PHEV e o Nissan Leaf 40kwh que é o mais barato.

O preço do Kauai EV 4x2 Electric é de 43.350 Euros e oferece uma bateria de 64 hwh, o equivalente a 204 cavalos. Faz os primeiros 100 metros em 7,6 segundos.

O design não deixa ninguém indiferente. Apresenta um design considerado progressista, com uma frente onde está ausente a grelha, e onde em seu lugar surge o ponto de ligação do cabo de carregamento. As óticas sublinham como um traço a grosso, a divisão entre o para-choques e o capot, de forma muito suave.

No interior, destaca-se a consola central em dois planos, um superior e outro inferior.

Espaçoso quanto baste para 4, admite com conforto uma criança no meio do banco traseiro.

A bagageira é uma boa surpresa, uma vez que costuma ser bastante sacrificada de forma a albergar as baterias. Não é o caso.

Revela-se um carro ágil, e leve, com as prestações a condizer com o estilo de condução. Pé pesado penaliza os consumos, pé leve, e o carro oferece a recompensa dos metros a mais que se ganha em ter uma condução ecológica.

Sendo movido por um motor elétrico, o facto de não se acelerar permite uma travagem eficaz e sem na realidade ser preciso travar. Basta levantar o pé do acelerador, que a desaceleração é equivalente a uma travagem leve e progressiva.

O sistema de travagem regenerativo é ajustável e utiliza patilhas atrás do volante que permitem selecionar o nível de “travagem regenerativa”.

Muito interessante também a forma como se seleciona o sentido de marcha da viatura. Não há aqui alavancas, é tudo controlado por botões. O chamado “Shift by Wire”: Um para andar para a frente, outro para fazer marcha-atrás, outro para colocar em ponto morto e outro ainda em parque.

Tudo com botões.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.