Oração da Manhã
A+ / A-

Sábado, 01 de dezembro de 2018

Isabel Figueiredo


Oração da Manhã - 01/12/2018
Oração da Manhã - 01/12/2018
Disse-me que gostava do silêncio da sua casa,
do consolo de abrir a porta e entrar.
De ficar sentada e quieta.
Quando somos confrontados pelo imprevisto,
quando nos falta o chão, e os planos de amanhã já são outros,
ficamos sozinhos connosco.
Só me conseguia lembrar de que Tu, Jesus, procuraste a solidão
do deserto, o silêncio do jardim das oliveiras.
E só Te conseguia ver em estradas desertas, em madrugadas vazias.
Quantas vezes não é neste estarmos sozinhos connosco,
que Tu chegas, inesperado, quase discreto, mas tão presente.
Como quando nasceste na noite fria de Belém,
ou andaste nos caminhos de Emaús.
Não Te peço que cures a sua dor, que seques a sua tristeza.
Mas preenche aquele silêncio.
Fecha a sua porta de mansinho, fica a seu lado,
dá-lhe um abraço, o Teu sorriso, a Tua Graça.
Precisamos tanto de Ti, Jesus de Nazaré, Jesus Menino.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.