Opinião de Francisco Sarsfield Cabral
A+ / A-

​Merkel e o futuro da Europa

16 out, 2018 • Opinião de Francisco Sarsfield Cabral


As eleições na Baviera mostraram que não é imparável a hostilidade à UE.

As eleições de domingo na Baviera correram mal para os partidos da coligação federal, os democratas-cristãos e os socialistas. A CSU, partido irmão da CDU de Merkel, perdeu a maioria absoluta no parlamento daquele Estado; e o SPD teve um resultado humilhante, menos de 10%, o que reforça a relutância dos socialistas quanto a alianças com Merkel.

Mas o partido virulentamente contrário à integração europeia, a Alternativa para a Alemanha, ficou aquém do esperava, pouco passando dos 10%. Em contrapartida, os Verdes, europeístas, tornaram-se o segundo partido da Baviera, com cerca de 18%.

A onda populista e eurocética parece, assim ter sido travada, pelo menos momentaneamente. E o provável afastamento do líder da CSU, Markus Soder, que é ministro do Interior no governo de Merkel, favorecerá a chanceler, pois esse ministro afrontou-a declaradamente nos meses recentes quanto ao problema da imigração.

Decerto que a chanceler Merkel continua enfraquecida e mais ficará se perder a próxima eleição estadual na Alemanha, a 28 deste mês, no Hesse. E em Dezembro os membros da CDU serão chamados a votar a liderança de Merkel. Um eventual afastamento de Merkel dificultará, sem dúvida, a resolução dos vários problemas que a integração europeia agora enfrenta: a crise da imigração, o orçamento da Itália, o “brexit” (provavelmente sem acordo de transição), as atrasadas reformas do euro, etc.

E também é claro que uma mudança do perfil eleitoral da Alemanha demorará anos a concretizar-se e que não sabemos como terminará. Mas, pelo menos, as eleições na Baviera mostraram que não é imparável a hostilidade à UE.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Adelino Dias Santos
    16 out, 2018 Mealhada 18:02
    O sr. Francisco Sarsfield Cabral parece não estar totalmente informado sobre a CSU (União Social Cristã). O Sr. Markus Söder e o actual (e talvez o futuro) chefe do governo bávaro. O chefe do Partido CSU continua a ser o seu antecessor no cargo, Sr. Horst Seehofer, que deixou o. governo da Babiera (Bayern), precisamente para fazer parte do Governo de Berlim onde ele, Horst Seehofer e não Markus Söder, ocupa actualmente o cargo de Ministro do Interior (Innenminister).
  • FERNANDO MACHADO
    16 out, 2018 PORTO 14:39
    NO TEMPOS QUE CORREM, A SENHORA MERKEL, JÁ CUMPRIU O SEU PAPEL. O CHAMADO MUNDO LIVRE MUITO LHE DEVE. HÁ QUE SABER ESCOLHER O/A SUCESSOR/A. NADA DE FANTASIAS...