O Mundo em Três Dimensões
Números que contam histórias. De segunda a sexta às 05h40, 14h30 e 21h10 com reposição ao fim-de-semana.
A+ / A-
Arquivo
O Mundo em Três Dimensões - Sardinhas - 25/05/2018
O Mundo em Três Dimensões - Sardinhas - 25/05/2018
O Mundo em Três Dimensões

Pronto para as primeiras sardinhadas do ano?

25 mai, 2018 • André Rodrigues , Paulo Teixeira (sonorização)


Hoje termina a primeira semana de pesca da sardinha. Até 31 de julho, os pescadores portugueses poderão capturar aproximadamente 5.000 toneladas. Porque, apesar de nunca faltar - principalmente nos Santos Populares - nunca houve tão pouca sardinha como agora.

Este pode muito bem ser o fim de semana da primeira sardinhada do ano. A campanha começou na passada segunda-feira e já há sardinha nas bancas dos mercados.

É, por assim dizer, uma espécie de aquecimento para a época dos santos populares que se aproxima.

Pode ainda não estar no ponto, pode até nem pingar no pão, mas quem já sentia saudades pode já tirar a barriga de misérias.

Só que a sardinha está cara porque é um recurso escasso. Daí a necessidade de proibir a pesca desde outubro do ano, o que permitiu uma recuperação dos stocks. Os pescadores falam de 120 mil toneladas de sardinha disponíveis para pesca entre Caminha e o Cabo Espichel, um acréscimo de 110% face Dezembro de 2016.

Nessa altura, a disponibilidade de sardinha em Portugal era de 22 mil toneladas, cinco vezes menos do que em 2006.

O Conselho Internacional para a Exploração do Mar foi perentório: a pesca da sardinha devia estar proibida.

O governo rejeitou essa recomendação mas decidiu impor limites: assim, até 31 de Julho, os pescadores poderão capturar aproximadamente cinco mil toneladas com limites diário.

A partir de 1 de Agosto a autorização para a pesca vai depender dos pareceres científicos.

Mas a si que nos ouve o que interessa saber é se vai ou não faltar a sardinha no prato.

Não se preocupe, porque não vai faltar. Só que a tendência do consumo é mesmo para diminuir.

Nos últimos cinco anos, os portugueses consumiram menos 63% por causa das restrições à pesca e do aumento dos preços. Aliás, entre 2014 e o ano passado, o consumo nacional caiu cerca de 40%.

Em 2017, os pescadores nacionais retiraram 11 toneladas e meia de sardinha, cerca de três vezes menos do que em 2012.

E os portugueses consumiram 13 mil toneladas de sardinha. Metade foi importada, maioritariamente de Espanha.

Estas 13 mil toneladas equivalem a 36 sardinhas por dia. Ou uma sardinha e meia por hora.

Isto se considerarmos o ano todo de 1 de janeiro a 31 de dezembro. Porque se considerarmos que a altura em que os portugueses comem mais sardinha são os meses de verão, então aí estes números disparam.

O jornal Público chegou a escrever, em 2015, que no mês de Junho Portugal comem uma média de 13 sardinhas por segundo.

Parece muito, só que na verdade nunca foi tão pouco.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.