O Mundo em Três Dimensões
Números que contam histórias. De segunda a sexta às 05h40, 14h30 e 21h10 com reposição ao fim-de-semana.
A+ / A-
Arquivo
O Mundo em Três Dimensões - Surfistas recolhem plástico - 21/05/2018
O Mundo em Três Dimensões - Surfistas recolhem plástico - 21/05/2018
O Mundo em Três Dimensões

Surfistas recolhem 250 quilos de plástico no Porto

21 mai, 2018 • André Rodrigues , Paulo Teixeira (sonorização)


Em três dias, de 4 a 6 de maio, os participantes na etapa Porto/Matosinhos do Campeonato Nacional de Surf recolheram garrafas, sacos, cotonetes e outros objetos de plástico. Mais de 250 quilos que correspondem a um quarto do objetivo.

Falamos essencialmente de garrafas, sacos, baldes, mais cotonetes, palhinhas de sumos e tampinhas de todo o género. É um sem número de assessórios de plástico que foram deixados na praia ou depositados no mar que, normalmente, costuma devolver à terra aquilo que não lhe pertence.

Francisco Alves, o terceiro classificado da etapa da liga nacional de surf considera o número "incrível", por um lado, e "triste" por outro. É assustador perceber que há tanto lixo na praia "e mais assustador ainda é o risco de as micropartículas de plástico poderem entrar na nossa cadeia alimentar".

Dados recentes revelados pela National Geographic, indicam que nas últimas décadas foram produzidos 1.000 milhões de toneladas de plástico e muita dessa quantidade está a transformar-se em lixo e detritos.

91% deste plástico não é reciclado e levará 400 anos a decompor-se.

A grande maioria deste lixo acumula-se em aterros e quando estes atingem o limite, o mar acaba por ser o destino final.

Se nada mudar, até 2050, haverá 12 mil milhões de toneladas de plástico nos aterros.

Que correspondem a 35 mil vezes o peso do Empire State Building em Nova Iorque.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.