Tempo
|
Economia das Coisas
O que não sabe, mas vai gostar de saber sobre Economia. Segundas-feiras às 9h40 e 17h40 (reposição)
A+ / A-
Arquivo
Economia das Coisas - O excel de Vítor Gaspar - 23/04/2018
Economia das Coisas - O excel de Vítor Gaspar - 23/04/2018

Economia das Coisas

Lembra-se do famoso excel de Vítor Gaspar?

23 abr, 2018


“É absolutamente claro que as previsões económicas são falíveis”, disse o então ministro das Finanças. No programa de hoje, falamos de Modelos de Equilíbrio Geral Dinâmico e Estocástico.

Muitos lembram-se de certeza do famoso Excel de Vítor Gaspar. O antigo ministro das Finanças – como todos os ministros das Finanças – baseava as suas previsões em modelos macroeconómicos utilizados em poderosos programas informáticos.

Em 2012, Vítor Gaspar reconhecia que podiam falhar. A verdade é que os modelos macroeconómicos utilizados pelos economistas são bem mais complexos do que poderiam indicar as referências ao tradicional Excel que temos no computador do trabalho ou em casa.

Hoje, vamos falar de Modelos de Equilibrio Geral Dinâmico e Estocástico. São dinâmicos, porque estudam como a economia evolui ao longo do tempo; e estocásticos, porque têm em linha de conta eventuais choques, como alterações tecnológicas ou de preços e de equilíbrio, referindo-se à teoria geral do equilíbrio que tenta explicar o comportamento da oferta, da procura e dos preços.

Depois é misturar isto tudo, colocar dentro de um programa informático e ver no que dá.

Joana Andrade Vicente é economista do Instituto de Políticas Públicas do ISEG e explica que nem sempre se consegue, por exemplo, validar ou rebater as previsões dos governos, porque não têm acesso aos modelos e variáveis que utilizam.

Este tipo de modelos foi alvo de muitas críticas, mesmo entre a comunidade académica, depois da crise financeira de 2007/2008. É que nenhum conseguiu prever a crise que estava para vir.

Depois da crise, muitas escolas estão a introduzir novas variáveis e a considerar por exemplo as teorias da economia comportamental.


Para críticas e sugestões pode enviar um email para paulo.pinto@rr.pt.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.