O Mundo em Três Dimensões
Números que contam histórias. De segunda a sexta às 05h40, 14h30 e 21h10 com reposição ao fim-de-semana.
A+ / A-
Arquivo
O Mundo em Três Dimensões - Quanto tempo à mesa - 17/04/2018
O Mundo em Três Dimensões - Quanto tempo à mesa - 17/04/2018
O Mundo em Três Dimensões

Portugueses passam duas horas diárias a comer e a beber

17 abr, 2018 • André Rodrigues , Paulo Teixeira (sonorização)


Estudo da OCDE indica que Portugal é o sexto país onde homens e mulheres passam mais tempo à mesa. O ranking é liderado pelos franceses, que gastam duas horas e 11 minutos por dia para comer e beber.

Qual é o português que não gosta de uma boa mesa?

Com boa comida, bons vinhos, bons amigos. É uma coisa muito nossa, bem ao estilo do sul da Europa.

E para apreciar tudo isso, é preciso tempo à mesa. A OCDE estudou o tempo que gastamos a comer e a beber e a média dos 29 países considerados neste ranking é de uma hora e meia.

Mas nós, portugueses, passamos um bocadinho mais: uma hora e 47 minutos

Se olharmos às primeiras posições da lista elaborada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico, a França está na frente com duas horas e 11 minutos.

Seguem-se italianos, gregos, espanhóis e dinamarqueses, que constituem a exceção nesta lista de países de tradição mediterrânica, onde os termómetros são mais generosos e onde os convívios se fazem - lá está - à mesa.

Comparando o topo e a cauda da tabela, os homens e mulheres franceses gastam mais de duas horas por dia a comer e beber, o dobro dos americanos, que são os mais rápidos a ingerir as refeições.

Ou não fosse a América o berço da fast-food.

Mas há neste estudo outros dados igualmente interessantes: sabia que as norueguesas relaxam mais tempo, seja diante do televisor ou no convívio com amigos do que quaisquer outras?

Seis horas e seis minutos por dia. Seguem-se as belgas, mas a diferença é de apenas dois minutos

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.