O Mundo em Três Dimensões
Números que contam histórias. De segunda a sexta às 05h40, 14h30 e 21h10 com reposição ao fim-de-semana.
A+ / A-
Arquivo
O Mundo em Três Dimensões - Homicidios Rio Janeiro - 22/03/2018
O Mundo em Três Dimensões - Homicidios Rio Janeiro - 22/03/2018
O Mundo em Três Dimensões

29 tiroteios em 24 horas. Acontece no Rio de Janeiro

23 mar, 2018 • André Rodrigues , José Luís Moreira (sonorização)


Plataforma 'Fogo Cruzado', que agrega dados oficiais e de organizações não governamentais, entre as 10h45 do último domingo e as 10h45 de segunda-feira. Uma das vítimas mortais, apanhada na troca de tiros, morreu numa paragem à espera do autocarro.

Tudo começa numa perseguição policial por desobediência de dois motociclistas numa 'Operação Stop' da Polícia Federal. Um homem de 60 anos estava no sítio errado à hora errada. Morreu no fogo cruzado. Com ele estavam mais duas pessoas que ficaram feridas.

A capital carioca sempre foi conhecida pelos seus elevados índices de criminalidade violenta. À distância dos acontecimentos, pode ser fácil cair na tentação de dizer que não é novidade.

Mas o Brasil acordou num sobressalto depois do assassinato de Marielle Franco, vereadora eleita em 2016 com a quinta maior votação nas eleições municipais, militante dos direitos humanos, filiada no Partido Socialismo e Liberdade.

Marielle nunca calou em público as críticas à intervenção federal no Rio de Janeiro e à Polícia Militar. Daí que seja praticamente consensual na opinião pública a ideia de uma execução planeada.

As munições usadas faziam parte de um lote comprado pela Polícia Federal em 2006. Que também foi usado num massacre que matou mais de 20 pessoas em 2015, no estado de São Paulo.

Uma semana depois, novo assassinato. De novo, um vereador: Paulo Henrique Dourado Teixeira foi vítima de vários disparos quando se encontrava no interior da sua viatura.

E, uma vez mais, as autoridades investigam a hipótese de crime político.

O estado do Rio de Janeiro fechou o ano passado superando o recorde negativo de 40 mortes violentas por cada 100 mil habitantes.

Mais de 6.700 vítimas mortais em 2017. Mais de 1.100 com intervenção da Polícia Federal.

De acordo com o jornal O Globo, 2009 foi o último ano em que a taxa de homicídios por 100.000 habitantes foi superior a 40.

Mas dito isto, o Rio estará longe de ser a cidade mais violenta do mundo.

Dados de 2016 do Conselho Mexicano de Segurança Pública e Justiça Penal indicam que a cidade de San Pedro Sula nas Honduras registou uma média de 170 homicídios por 100.000 habitantes.

Seguem-se Acapulco, no México e Caracas, na Venezuela.

Aliás, o Rio nem figura no top 10 das cidades mais violentas do mundo em 2016.

Que, por sinal, ficavam todas na América Latina.

Entre Honduras, México, Colômbia, Venezuela e Brasil.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.