Tempo
|
Depois não diga que não sabia
Vai para o ar ao domingo, no início de cada mês. Neste programa, emitido entre as 13h00 e as 14h00, poderá ouvir os destaques mensais do Centro Cultural de Belém (CCB).
A+ / A-
Arquivo
Depois não diga que não sabia - Novembro 2020
Depois não diga que não sabia - Novembro 2020

Depois não diga que não sabia

Já pensou no que vai querer ver em novembro no CCB?

01 nov, 2020 • Maria João Costa


Depois não diga que não sabia… Há teatro, música, dança e muitas outras propostas de eventos que vão acontecer no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

O realizador João Botelho aceitou o desafio para criar um espetáculo de homenagem a Amália Rodrigues – um evento inserido nas celebrações do centenário do nascimento da fadista (à Renascença, o realizador recorda como a conheceu).

Amália – a voz maior do que o fado” é o nome do espetáculo que conta a história de Amália desde as ruas estreitas de Lisboa, aos grandes palcos mundiais. Para ver nos dias 26 e 27 de novembro.

O concerto vai contar com a soprano Ana Quintans e de fadistas como Ana Moura, Camané, Ricardo Ribeiro. E ainda com a galega Luz Casal e o piano de Mário Laginha.

Tudo isto com a voz de Amália. Os arranjos musicais são de Daniel Bernardes. A guitarra portuguesa é de Gaspar Varela.

Saudades de um teatro? Um dos contos de Mário Sá Carneiro sobe ao palco do Centro Cultural de Belém entre 12 e 15 de novembro.

“A confissão de Lúcio” foi escrita em 1914. Quase um século depois, André Murraças assume o desafio de fazer a adaptação a teatro. São da sua autoria a encenação, a cenografia, os figurinos e o desenho de luz.

Em palco vão estar três atores: Francisco Goulão, Isac Graça e João Cachola, que interpretam as personagens de Lúcio, Marta e Ricardo.

Os sonhos intrigam-no? O artista Miguel Filipe diz que sim e, por isso, criou “Bo(u)checha”, a sua primeira peça multidisciplinar – um espetáculo para maiores de 6 anos, que junta dança e música e conta, além da interpretação do próprio, com as artistas Eva Aubigny e Océane Crouzier.

Em cena no pequeno auditório, nos dias 20 e 21 de novembro às 21h00.

Mas há mais a acontecer no CCB em novembro, mês de parcerias. Nas várias salas, a programação abrange diferentes públicos.

Para aos maiores de 12 anos, por exemplo, a proposta é ver tudo deitado, a olhar para cima. “O Que Veem As Nuvens”, de Ricardo Vaz Trindade, pode ser visto entre 11 e 13 de novembro.

Mais adiante, de 20 a 23 de novembro, outra proposta de teatro para ver no espaço da Black Box. O Teatro da Cidade apresenta no CCB “Invocação ao meu Corpo”, uma peça com texto e encenação de Guilherme Gomes e interpretação de Catarina Luís, Mauro Hermínio e Rita Cabaço.

O Centro Cultural de Belém vai também acolher o Alkantara Festival, nos dias 28 e 29 de novembro. “Glottis” é um espetáculo de dança de Flora Détraz que acontece no interior de uma gruta onde três figuras deambulam por práticas misteriosas. O palco é a Black Box que recebe o espetáculo dia 28 às sete da tarde e no dia 29 às quatro.

Na Garagem Sul, continua patente a exposição “O Mar é a Nossa Terra”.

Agora, é só espreitar a bilheteira ou o site do CCB, onde encontra todos os detalhes e ainda mais propostas para os dias de lazer.

Já sabe, Depois Não Diga Que Não Sabia…

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.