Francisco Assis-João Taborda da Gama
Um eurodeputado a viver em Bruxelas e um professor universitário (especialista em direito fiscal) a viver em Lisboa olham para os principais temas da atualidade. À terça e quinta, às 9h15.
A+ / A-
Arquivo
Debate Francisco Assis e João Taborda da Gama - 13/11/2018
Debate Francisco Assis e João Taborda da Gama - 13/11/2018
F. Assis

Coligações negativas "provavelmente vão surgir com mais frequência"

13 nov, 2018


Eurodeputado socialista considera que PSD não está a tomar uma postura cautelosa. Já João Taborda da Gama acha que quem beneficia mais das coligações negativas são os partidos à esquerda.

O eurodeputado socialista Francisco Assis considera que as coligações negativas poderão surgir mais frequentemente, dado a aproximação de eleições.

De acordo com notícias recentes, o PSD pondera unir-se a partidos de esquerda para chumbar algumas propostas do Governo, nomeadamente a taxa de Proteção Civil e a contagem parcial do tempo de carreira dos professores.

No espaço de debate no programa Carla Rocha - Manhã da Renascença, Assis atribui esta postura à aproximação de eleições e antecipa que "provavelmente vão surgir com mais frequência". Assis considera que a posição do PSD é errada, sobretudo na questão dos professores. "Há aqui uma atitude que não é propriamente a mais cautelosa, face às consequências que daqui podem advir" do ponto de vista orçamental, alerta Assis.

Já o professor universitário João Taborda da Gama afirma que não lhe parece "a melhor estratégia para o PSD, porque quem mais reforçado sai desta coligação negativa são os partidos à esquerda que conseguem assim simultar discordâncias relativamente ao orçamento que vão aprovar".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.