Da Capa à Contracapa
Os grandes temas da actualidade em debate aos sábados, às 9h30. Uma parceria da Renascença com a Fundação Francisco Manuel dos Santos.
A+ / A-
Arquivo
Da Capa à Contracapa - O que muda nos EUA com as eleições intercalares - 10/11/2018
Da Capa à Contracapa - O que muda nos EUA com as eleições intercalares - 10/11/2018
​Da Capa à Contracapa

O que muda nos EUA com as eleições intercalares

10 nov, 2018


Nuno Garoupa e Rui Tavares debatem as eleições intercalares e as mudanças que acontecem (ou não), por estes dias, no país de Donald Trump.

Os resultados das eleições intercalares nos Estados Unidos são o tema em análise na edição deste sábado do programa Da Capa à Contracapa.

Numa semana em que os Estados Unidos escolheram os seus candidatos ao Senado, à Câmara dos Representantes e para vários órgãos de vários Estados do país, Nuno Garoupa e Rui Tavares são os nossos convidados para debater as eleições intercalares e as mudanças que acontecem (ou não), por estes dias, no país de Donald Trump.

Rui Tavares é historiador, ex-eurodeputado e fundador do Livre. Nuno Garoupa é economista e professor de Direito na George Mason Scalia Law, na Virgínia.

Da Capa à Contracapa é uma parceria da Renascença com a Fundação Francisco Manuel dos Santos para debater o país e o mundo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Albino
    11 nov, 2018 lisboa 10:19
    UM reforço do PODER de TRUMP que se divertirá a provocar os democratas como provoca tudo e todos mudando a politica nacional e mundial.A oposição e midia têm que perceber que TRUMP não tem limites e não cede ás pressões seja dos midia.organizaçoes e outros interesses seja nacionais internacional que não sejam na direção america first. É o que se chama um PRESIDENTE independente,contudente e que tenta corrigir os erros das anteriores administraçoes que debilitaram EUA.É o presidente que EUA necessitava para não ser secundarizado no contexto internacional com pena/raiva dos anti-imperialistas estudinenses.