Tempo
|
Da Capa à Contracapa
Os grandes temas da atualidade em debate à Terça-feira, depois das 23h, na Edição da Noite. Uma parceria da Renascença com a Fundação Francisco Manuel dos Santos.
A+ / A-
Arquivo
Quando poderemos dizer que a pandemia terminou? - Da Capa à Contracapa
Quando poderemos dizer que a pandemia terminou? - Da Capa à Contracapa

​Da Capa à Contracapa

Como travar uma pandemia?

06 abr, 2021 • José Pedro Frazão , Ana Marta Domingues


Kamal Mansinho e Stefan Cunha Ujvari são os convidados desta semana do programa Da Capa à Contracapa.

A vacinação é vista como a principal arma para travar a progressão do vírus que nos trouxe à presente pandemia. Mas basta disseminar as vacinas para travar uma pandemia? As máscaras vão manter-se no nosso quotidiano? O que é que a história nos ensina sobre o fim das pandemias?

Nesta edição do programa Da Capa à Contracapa, Kamal Mansinho, diretor do Serviço de Infeciologia e Medicina Tropical do Hospital de Egas Moniz, falará das lições tiradas em outras epidemias como o ébola, VIH-SIDA ou malária.

O outro convidado especial é Stefan Cunha Ujvari, médico infeciologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz em São Paulo, no Brasil, autor de livros como “A História da humanidade contada pelos vírus”, “Pandemias: a humanidade em risco”, “A História do século XX pelas descobertas da Medicina e História das Epidemias”.

Stefan Cunha Ujvari vai analisar o lado mais histórico das epidemias e perspetivar como se pode travar uma pandemia, dando-nos os exemplos vividos e conhecidos na região do globo onde se encontra, a América do Sul.

O Da Capa à Contracapa é um programa da Renascença em parceria com a Fundação Francisco Manuel dos Santos para debater a atualidade, com moderação de José Pedro Frazão.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.