Tempo
|
Três por Todos - Assista ao direto Três por Todos - Participe nos leilões
Tudo sobre o EURO 2020 Últimas Notícias
Tudo sobre o EURO 2020 Últimas Notícias
Da Capa à Contracapa
Os grandes temas da atualidade em debate à Terça-feira, depois das 23h, na Edição da Noite. Uma parceria da Renascença com a Fundação Francisco Manuel dos Santos.
A+ / A-
Arquivo
Da Capa à Contracapa - Nunca é tarde para uma adoção?
Da Capa à Contracapa - Nunca é tarde para uma adoção?

Da Capa à Contracapa

Nunca é tarde para uma adoção?

15 jun, 2021 • José Pedro Frazão , Ana Marta Domingues


Os convidados desta semana são a juíza desembargadora do Tribunal da Relação de Lisboa, Maria Perquilhas e Maria Sequeira Mendes, autora de um novo livro da Fundação Francisco Manuel dos Santos, o retrato “Adopção Tardia”.

Esta semana no Da capa à contracapa debatemos a adopção em idades fora da primeira infância. Falamos Sobre ser adoptado e sobre adoptar crianças com 7 ou mais anos. São nossas convidadas Os convidados desta semana são a juíza desembargadora do Tribunal da Relação de Lisboa, Maria Perquilhas e Maria Sequeira Mendes, autora de um novo livro da Fundação Francisco Manuel dos Santos, o retrato “Adopção Tardia”. Maria Sequeira Mendes é Professora da Faculdade de Letras de Lisboa, começou a fazer investigação sobre adopção há alguns anos e decidiu partilhar o que sabia neste livro. Um retrato que pretende ajudar os pais a conhecerem melhor a realidade da adopção em Portugal, contrariando muitos dos mitos que existem sobre o tema.

“Nunca é tarde para uma adopção?” Descubra na próxima terça-feira, 15 de junho, às 23h15 na Edição da Noite da Renascença. Ou mais tarde em podcast. O Da Capa à Contracapa é um programa moderado por José Pedro Frazão e realizado em parceria com a Fundação Francisco Manuel dos Santos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.