Tempo
|
A+ / A-

Covid-19: Mais três mortes e 1.497 novos casos, o número mais elevado em quatro meses

23 jun, 2021 - 13:59 • Redação

Há mais 634 casos ativos e menos 13 internados esta quarta-feira, de acordo com a Direção-Geral da Saúde. Taxa de incidência disparou e Portugal avança na zona vermelha da matriz de risco.

A+ / A-

Veja também:


Portugal regista esta quarta-feira mais três mortes e 1.497 novos casos de Covid-19, o número mais elevado de infeções diárias desde 20 de fevereiro, indica o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). O país avança na zona vermelha da matriz de risco.

O número de internados desceu em comparação com o dia anterior. Há agora 437 pessoas nos hospitais com Covid-19, menos 13 em relação a terça-feira.

Em unidades de cuidados intensivos estão internados 100 pacientes, menos um do que no dia anterior.

O número de casos ativos ultrapassa os 29 mil. São mais 634 infeções no espaço de 24 horas.

Recuperaram da doença provocada pelo SARS-CoV-2 Covid-19 um total de 860 pessoas.

As três mortes foram registadas em Lisboa e Vale do Tejo, o epicentro da doença em Portugal, região que tem mais 964 novos casos de Covid-19.

O Norte tem mais 208 casos, o Centro 108, o Alentejo 59 e o Algarve 127.

Nas regiões autónomas, os Açores registaram nas últimas 24 horas mais 19 infeções e a Madeira 12.

Incidência dispara Portugal no vermelho

Portugal avançou na zona vermelha da matriz de risco, que mede a incidência e a taxa de transmissibilidade R(t), indica o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde.

A incidência a nível nacional é agora de 128,6 casos de Covid-19 por 100 mil habitantes. Em Portugal continental esse indicador é de 129,6.

Trata-se de um aumento em relação ao dia anterior, em que a taxa de incidência nacional era de 119,3 casos de Covid-19 por 100 mil habitantes. No continente era de 120,1 casos.

O R(t) nacional está nos 1,17 e no continente é de 1,18 pessoas contaminadas por cada novo caso.

Na terça-feira, o índice de transmissibilidade era de 1,18 a nível nacional e de 1,19 no Continente.

Desde a chegada da pandemia a Portugal, em março do ano passado, estão confirmadas 17.077 mortes e mais de 868 mil casos.

A ministra da Saúde, Marta Temido, disse esta quarta-feira que o Governo não pode garantir nesta altura se o desconfinamento vai avançar ou não e apela à prudência em relação à variante Delta Plus do vírus da Covid-19.

Até agora foram detetadas em Portugal 24 casos de infeção pela Delta Mais (ou Delta Plus e também conhecida como AY.1) - a variante do coronavírus SarsCov2 inicialmente conhecida por variante do Nepal.

A informação foi confirmada à Renascença pelo Instituto Ricardo Jorge (INSA), segundo o qual não se trata de uma nova variante, mas antes de uma mutação da estirpe da Índia, agora designada por Delta.

Entretanto, a vacinação dos maiores de 18 anos vai arrancar no dia 4 de julho, disse esta quarta-feira o coordenador da “task force” do plano de vacinação, o vice-almirante Gouveia e Melo.

O responsável pela "task force" adiantou no Parlamento que está comprometida a meta avançada para agosto para a vacinação contra a Covid-19 em Portugal. Atrasos na entrega das vacinas e redução na produção em duas marcas (Janssen e AstraZeneca) estão na origem do incumprimento da meta prevista, de 70% da população vacinada a 8 de agosto.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+