Tempo
|
A+ / A-

Antuérpia. Português ferido no desabamento está "estável"

20 jun, 2021 - 13:40 • Redação

O primeiro-ministro belga enviou uma mensagem a António Costa de condolências às famílias dos trabalhadores que morreram no "trágico acidente".

A+ / A-

O português ferido no desabamento de um edifício na última sexta-feira, em Antuérpia, está estável. As autoridades portuguesas falaram com o trabalhador, ainda internado nos cuidados intensivos, mas com bom prognóstico. As informações foram confirmadas à Renascença pela secretária de Estado das Comunidades.

As autoridades belgas confirmaram a morte de quatro portugueses na sequência do acidente da última sexta-feira . A quinta vítima mortal é um trabalhador moldavo que estava a trabalhar na obra com documentos romenos.

Inicialmente, a polícia tinha anunciado a mortes de três cidadãos portugueses, mas a atualização dos dados foi entretanto confirmada pelo presidente da Câmara de Antuérpia, Bart De Wever.

Quando falou com a Renascença, a secretária de Estado ainda só tinha a confirmação da morte de três cidadãos portugueses."Já contactamos as famílias e também a empresa, que informou que já acionou o seguro, que tratará da transladação dos corpos e demais procedimentos. Também já contactamos com o português internado, está nos cuidados intensivos mas estável, sairá em breve. Iremos acompanhar a situação, ele está sozinho na Bélgica", disse Berta Nunes, lembrando que a quarta vítima tem dupla nacionalidade.

O primeiro-ministro belga enviou uma mensagem a António Costa de condolências às famílias dos trabalhadores que morreram no "trágico acidente" de Antuérpia, informou este domingo o gabinete do chefe do Governo português.

De acordo com a mesma fonte, na mensagem, Alexander de Croo acrescenta que "as autoridades belgas estão a trabalhar com a embaixada de Portugal para o apoio às respetivas famílias".

O colapso parcial do estaleiro de construção de uma escola em Antuérpia fez cinco mortos e deixou ainda nove pessoas feridas, que se encontram internadas em diferentes unidades hospitalares da região.

No local do desabamento, o autarca considerou que o acidente "é uma catástrofe terrível", explicando que se tratava de uma escola, que estava quase terminada e que ia abrir em setembro.

"Algo correu mal na construção, não sabemos o quê, mas será investigado", assegurou Bart de Weber, em declarações às televisões.

Segundo o site belga 7sur7, Portugal é o país que mais envia trabalhadores de construção para a Bélgica, seguido dos Países Baixos e Polónia. Cerca de 57 mil estrangeiros trabalham neste setor.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+