Tempo
|
Ribeiro Cristovão
Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

​Portugal, por enquanto inacessível

16 jun, 2021 • Opinião de Ribeiro Cristovão


Para a seleção portuguesa começou da melhor maneira o Campeonato da Europa de 2020.

Uma vitória inquestionável sobre a Hungria alterou as perspetivas sobre o que o futuro reserva ao atual campeão da Europa.

Apesar da reconhecida diferença de qualidade entre as seleções portuguesa e húngara, havia um otimismo contido quanto ao desfecho do embate contra a seleção magiar. Esta jogava em casa, e o objetivo sempre presente de ganhar ao campeão em título constituíam fatores que se poderiam tornar influenciadores do desfecho do jogo a realizar no Arena Puskas.

E os largos primeiros minutos do jogo trouxe-nos justificada inquietação. Portugal dominava, mas sem que fosse capaz de chegar com sucesso ao último reduto da Hungria, que porfiava numa defesa bem organizada e capaz de impedir que os perigosos lusitanos materializassem em golos as intenções com que entraram em campo.

A segunda parte começou ao mesmo ritmo, chegando a admitir-se que eram poucas as probabilidades de se romper o teimoso zero-a-zero que pouco ou nada interessava aos jogadores de Fernando Santos.

Até que o selecionador decidiu mexer na equipa e assim dar a volta ao jogo.

As entradas de Rafa e de Renato Sanches foram determinantes e foi na base das suas atuações que se tornou possível construir um resultado que abre uma janela de esperança num campeonato que chegou a perecer perdido antes do tempo.

Perante este quadro, o próximo jogo com a Alemanha passou a suscitar novas e diferentes perspetivas.

A qualificação está ao alcance da mão, e até poderá ter aumentado a preocupação dos germânicos que, derrotados pelos franceses, passam agora a encara o campeonato de maneira diferente. Sábado à noite se verá.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.