Tempo
|
A+ / A-

Ikea apanha multa de 1 milhão de euros por espiar funcionários em França

15 jun, 2021 - 12:53 • Marta Grosso

Ex-presidente executivo foi condenado a pena suspensa e quatro gerentes foram despedidos. No banco dos réus, sentaram-se ainda quatro polícias.

A+ / A-

A Ikea foi condenada por um tribunal francês a pagar uma multa de um milhão de euros depois de ter sido considerada culpada por espiar os funcionários nas instalações francesas.

De acordo com os dados apurados, e divulgados nesta terça-feira pela BBC, a subsidiária francesa da empresa sueca usou detetives particulares e agentes policiais para recolher dados privados sobre os funcionários.

Os gerentes contrataram uma empresa de segurança privada, a Eirpace, e esta recolhia dados pessoais da polícia, incluindo informações sobre estilos de vida e eventuais condenações criminais anteriores.

O sistema de vigilância em massa foi também usado para analisar candidatos a empregos e fiscalizar as equipas contratadas.

Ao todo, terão sido espiadas perto de 400 pessoas.

O escândalo foi dado a conhecer em 2012 e os sindicatos decidiram colocar a empresa em tribunal.

“Está em jogo a proteção de nossas vidas privadas contra a ameaça de vigilância em massa”, defendeu a promotora estadual, Pamela Tabardel, em março, no início do julgamento.

A sentença foi conhecida nesta terça-feira. O ex-CEO da Ikea France, Jean-Louis Baillot, foi condenado a dois anos de prisão com pena suspensa e ao pagamento de uma multa de 50 mil euros.

Além de Baillot, estiveram no banco dos réus 14 pessoas, entre altos executivos e ex-gerentes de loja e quatro polícias, por entregarem informações confidenciais.

A Ikea, chocada com o caso, demitiu quatro gerentes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+