Tempo
|
A+ / A-

​Médio Oriente. Cáritas Internacional lança campanha para ajudar população de Gaza

17 mai, 2021 - 17:49 • Ana Lisboa

Esta organização católica afirma que cerca de 80% da população de Gaza depende de ajuda humanitária e cerca de 90% das famílias não têm acesso a água potável.

A+ / A-

A Confederação Internacional da Cáritas lançou uma campanha de solidariedade a favor da população de Gaza, afetada pelo conflito entre Israel e a Palestina, que já registou mais de 200 mortos, incluindo crianças.

Já esta manhã, "a aviação israelita realizou dezenas de ataques a zonas da Faixa de Gaza, alguns visando os túneis do Hamas, numa ofensiva que durou cerca de 20 minutos", refere a Cáritas de Jerusalém.

Do lado palestiniano, foram disparados rockets contra cidades do sul de Israel, numa aparente resposta ao assassinato de um alto comandante da Jihad islâmica".

A equipa da Cáritas de Jerusalém sublinha que “o bombardeamento é imprevisível" e afirma que "as bombas são mais poderosas do que nas guerras anteriores".

Os funcionários desta organização católica têm trabalhado em Gaza há vários anos, prestando serviços essenciais à população mais pobre, "incluindo cuidados de saúde, nutrição e apoio psicossocial para pessoas traumatizadas por anos de restrições e violência".

Recorde-se que ontem, o Papa Francisco manifestou a sua "enorme preocupação" com a situação na Terra Santa, condenando a "inaceitável" morte de crianças no conflito entre Israel e a Palestina.

Esta segunda-feira, o Presidente da Turquia telefonou a Francisco, agradecendo-lhe por esse apelo e acusando Israel de atacar todos, "muçulmanos, cristãos e a humanidade".

O presidente Erdogan realçou a importância da mensagem do Santo Padre "para mobilizar o mundo cristão e a comunidade internacional".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+