Tempo
|
A+ / A-

Governo não autoriza público nos estádios na penúltima jornada

14 mai, 2021 - 09:19 • Redação

Liga pretendia que todos os clubes tivessem possibilidade de ter um jogo com públicos nos seus estádios, depois de ter confirmado portas abertas na última jornada, com 10% da lotação de cada recinto.

A+ / A-

A Liga tentou, mas o Governo recusou a possibilidade de os jogos da penúltima jornada da I Liga terem público nos estádios, à imagem do que vai acontecer na última ronda.

Tal como a Renascença avançou, os clubes foram contactados, no sentido de se prepararem para abrir portas já este fim de semana. A Liga pretendia, encontrar uma solução equitativa, para que os 18 emblemas do campeonato tivessem direito a um jogo com adeptos.

Depois do anúncio, na quarta-feira de manhã, que na última jornada seriam abertos os estádios a 10% da sua capacidade, a medida poderia também aplicar-se à penúltima jornada do campeonato.

A Liga tentou junto da Direção-Geral da Saúde, depois de ter ouvido a contestação dos clubes não contemplados com um jogo em casa, mas o Governo não permitiu.

Apesar das questões logísticas envolvidas, e o pouco tempo para colocar tudo a funcionar no terreno, algumas das equipas estavam já a preparar as respetivas estruturas para reabrirem as portas aos adeptos.

Após o Conselho de Ministros de quinta-feira, Mariana Vieira da Silva esclareceu que "os últimos jogos da I Liga de Futebol são eventos teste para a [futura] presença de público nos estádios de futebol", referiu.

"O que vai acontecer na última jornada do campeonato é um evento teste. Não podemos dizer que se trata de um regresso aos estádios. Não é nada mais do que isso. Este mesmo tipo de eventos teste ou piloto, com a presença de algum público, tem sido também feito na cultura. Não se trata de qualquer discriminação", acrescentou a ministra de Estado e da Presidência.

Os adeptos têm estado longe das bancadas desde março de 2020, quando foi suspensa toda a prática de desporto em Portugal, incluindo o futebol profissional, com a entrada em vigor do primeiro estado de emergência.

Na Região Autónoma dos Açores, chegou a haver eventos desportivos, nomeadamente jogos do Santa Clara, com público, contudo tal não se repetia no continente, nem na Madeira. Em outubro, houve três jogos-piloto e dois desafios da seleção portuguesa de futebol com presença de adeptos, como teste, e o FC Porto recebeu público num encontro da Liga dos Campeões. Porém, a segunda vaga da pandemia do novo coronavírus deitou quaisquer planos de retoma por terra.

A 27 de fevereiro e 13 de março, o Santa Clara recebeu Paços de Ferreira e Portimonense, respetivamente, com adeptos nas bancadas, em virtude das medidas impostas nos Açores. Foi a primeira e última vez que se viu tal coisa em 2021. Quando o número de casos de Covid-19 no arquipélago voltou a crescer, o Estádio São Miguel voltou a estar fechado ao público.

A decisão surge depois da festa do campeonato do Sporting, quando dezenas de milhares de pessoas celebraram sem distanciamento, e muitas sem máscara, a conquista do Sporting, apesar do atual estado de calamidade. Milhares estiveram reunidos no exterior de Alvalade, com o estádio vazio durante o jogo com o Boavista.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anónimo
    14 mai, 2021 Lisboa 11:00
    Nos estádios só mesmo a escumalha inglesa, está visto! País de terceiro mundo onde os turistas ricos têm mais direitos que os portugueses! Com que moral um governo que deixou 16000 morrer de Covid pode falar dos adeptos do Sporting ou de outro clube qualquer? E antes que me acusem de xenofobia, não fui eu que votei para sair da União Europeia. Ingleses são escumalha.

Destaques V+