Tempo
|
A+ / A-

Cáucaso

Arménia acusa Azerbaijão de invadir o seu território

13 mai, 2021 - 23:39 • Filipe d'Avillez

Segundo Erevan, forças militares azeris penetraram 3.5 km na República da Arménia e tentaram circundar o Lago Sev.

A+ / A-

Forças militares do Azerbaijão invadiram na quarta-feira uma parte do território da República da Arménia, segundo o Governo arménio.

Segundo as autoridades arménias os soldados azeris não utilizaram a força, mas tentaram circundar e controlar o Sev, um pequeno lago que fica na fronteira entre os dois países. Segundo os mapas oficiais a Arménia detém 70% do lago e o Azerbaijão 30%.

A Arménia e o Azerbaijão estiveram recentemente envolvidos num conflito sangrento por causa de Nagorno-Karabakh, um enclave de maioria arménia em território do Azerbaijão. Depois de uma guerra nos anos 90 a Arménia assegurou o controlo de Karabakh, que declarou independência, embora não tenha sido reconhecido como país por mais nenhum estado. Durante as três décadas seguintes Karabakh só sobreviveu com o apoio da Arménia e num estado de conflito, ora latente, ora aberto, com o Azerbaijão.

Em setembro de 2020, com o apoio militar da Turquia, o Azerbaijão conseguiu conquistar a grande maioria do território de Karabakh, impondo uma dura derrota aos arménios.

O mais recente incidente não teve lugar em Karabakh, contudo, mas na República da Arménia. Os azeris, segundo a imprensa, dizem que o território é deles, mas a Arménia assegura que os mapas acordados pelas duas partes ainda quando faziam parte da União Soviética, e ratificadas com a independência de ambos os estados, mostram claramente as fronteiras.

Há informação contraditória sobre a situação atual, com a Reuters a dizer que, sem que tivesse havido qualquer confronto direto, os arménios conseguiram manobrar de forma a obrigar os soldados azeris a recuar de volta para o seu território. Outras fontes, porém, asseguram que o lado está sob o controlo dos azeris.

O Presidente de França, uma tradicional aliada da Arménia, já veio denunciar publicamente o incidente, exigindo que o Azerbaijão deixe de hostilizar a Arménia. Emmanuel Macron publicou uma mensagem no Twitter em que diz que “forças armadas do Azerbaijão penetraram no território da Arménia. Devem retirar-se imediatamente. Volto a dizer ao povo arménio: França está do vosso lado, em solidariedade, e assim se manterá”.

[Atualizado às 23h53]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+