Tempo
|
A+ / A-

Moedas critica Medina por ajuntamentos na festa do Sporting

12 mai, 2021 - 15:09 • Olímpia Mairos

O candidato da coligação de direita à autarquia de Lisboa considera que o atual presidente é "responsável" pelos erros na festa do Sporting e por isso “deve muitas explicações aos lisboetas”.

A+ / A-

O candidato à Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, acusa o presidente da autarquia, Fernando Medina de não ter preparado a cidade para as celebrações do título de campeão nacional do Sporting.

“Desde a semana passada que a vitória do Sporting no campeonato era esperada e, consequentemente, a merecida festa dos adeptos. Não faltou, pois, tempo para que se garantissem todas as regras de segurança física e sanitária”, atira o candidato.

Na passada semana, o presidente da Câmara de Lisboa deu conta que a autarquia estava a estudar a melhor solução para que os festejos dos adeptos do Sporting ocorressem em segurança, caso o clube de Alvalade se sagrasse campeão nacional de futebol.

O candidato da coligação de direita à Câmara Municipal de Lisboa recorda essas mesmas afirmações de Fernando Medina, para afirmar que “o que se verificou foi precisamente o contrário”.

“Ao contrário do compromisso e das afirmações de Fernando Medina, o que se verificou foi uma total falha de segurança e de organização. Fernando Medina não soube dividir atempadamente e com variedade os espaços de festejo do Sporting”, atira Moedas.

Para o candidato à Câmara de Lisboa, “Fernando Medina revelou uma vez mais a sua incapacidade e incompetência”, concluindo que o autarca da capital “é responsável” pelos ajuntamentos e incidentes que marcaram os festejos do título do Sporting, por isso, “deve muitas explicações aos lisboetas”.

Na terça-feira, dezenas de milhares de pessoas celebraram sem distanciamento, e muitas sem máscara, a conquista do Sporting, apesar do atual estado de calamidade. O comportamento é visto como perigoso e preocupante pelo vice-presidente da Associação de Médicos de Saúde Pública.

Gustavo Tato Borges considera que permitir a entrada de adeptos no Estádio de Alvalade teria sido preferível – opinião que vai ao encontro da do antigo ministro da Saúde Adalberto Campos Fernandes, à Renascença.

Nos festejos da última noite, a polícia chegou a disparar balas de borracha para conter os milhares de adeptos. Vários objetos foram arremessados aos agentes, como pedras e garrafas.

Em comunicado enviado às redações esta quarta-feira, a direção nacional da PSP indica que foram detidas três pessoas e identificadas 30.

A Polícia de Segurança Pública (PSP) explica que decidiu manter, na noite de terça-feira, a festa do título nacional do Sporting porque considerou que a sua anulação iria causar impactos negativos na ordem e tranquilidade públicas.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já disse que não gostou dos ajuntamentos nas celebrações do título de campeão nacional do Sporting na cidade de Lisboa, considerando que o momento foi um mau exemplo para o resto do país.

Em declarações esta quarta-feira, Marcelo Rebelo de Sousa disse esperar que os números de infeções não aumentem por causa dos ajuntamentos.

A Câmara Municipal de Lisboa anunciou, entretanto, que a receção aos novos campeões nacionais será no dia 20, quinta-feira da próxima semana, ainda sem hora marcada.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+