Tempo
|
A+ / A-

Morte de Ihor Homeniuk: Advogado da família diz que condenações vão servir como "exemplo"

10 mai, 2021 - 16:51 • Lusa

O advogado da família de Ihor Homeniuk defendeu hoje que as condenações dos três inspetores do SEF vão servir de "exemplo" e elogiou o tribunal pela extração de certidão para os vigilantes e outros inspetores envolvidos no processo.

A+ / A-

O advogado da família de Ihor Homeniuk defendeu hoje que as condenações dos três inspetores do SEF vão servir de "exemplo" e elogiou o tribunal pela extração de certidão para os vigilantes e outros inspetores envolvidos no processo.

"Hoje terminou esta primeira fase e vamos agora aguardar, mas, pelo menos, justiça foi feita e as três condenações serviram de exemplo para todos os inspetores e para os membros da polícia que fazem o seu trabalho com dificuldade todos os dias, mas que não podem abusar do poder que têm", afirmou o advogado José Gaspar Schwalbach, acrescentando: "Quando alguém morre, qualquer pena a que sejam condenados nunca será suficiente".

Em declarações aos jornalistas após a leitura do acórdão, no Campus da Justiça, em Lisboa, o representante legal da família de Ihor Homeniuk considerou as sentenças hoje decretadas - nove anos de prisão para os arguidos Duarte Laja e Luís Silva e sete anos de prisão para o arguido Bruno Sousa - pelo juiz Rui Coelho "o final de uma etapa", mas sublinhou que "certamente, este julgamento não terminará aqui".

Os três inspetores do SEF foram condenados pelo crime de ofensa à integridade física grave qualificada, agravada pela morte.

O tribunal não deu como provada a acusação de homicídio qualificado, tendo também deixado cair a acusação de posse de arma ilegal (bastão extensível) que pendia sobre os dois primeiros inspetores. No entanto, na leitura do acórdão, o juiz Rui Coelho não deixou de considerar que "a morte de Ihor Homeniuk foi consequência direta da conduta dos arguidos e que tinham o dever de agir de forma diferente".

"O que temos hoje é que, efetivamente, os três foram condenados pela morte de um cidadão ucraniano e foi extraída uma certidão para todos os intervenientes que estiveram no aeroporto no dia antes, no próprio dia e no dia seguinte. E esse é um bom passo para mostrar que o nosso país não se deixa prender e não permite que este tipo de situações possa ficar esquecido", observou.

Sobre a permanência dos arguidos em prisão domiciliária, José Gaspar Schwalbach admitiu poder entregar um requerimento a pedir que a medida de coação seja agravada para prisão preventiva, face à condenação proferida pelo tribunal.

A morte de Ihor Homeniuk, em março de 2020, à guarda do SEF motivou uma crise política, a que se seguiu uma reestruturação deste serviço, que o ministro da Administração Interna justificou estar há muito prevista no programa do Governo, mas que não agrada aos sindicatos do setor.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+