Tempo
|
A+ / A-

Marcelo envia "profundas e sentidas condolências" à família do autarca de Torres Vedras

03 mai, 2021 - 19:15 • Lusa

Carlos Bernardes, de 53 anos, foi encontrado morto em casa esta segunda-feira.

A+ / A-

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, enviou as "mais profundas e sentidas condolências" à família do presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Carlos Bernardes, que foi encontrado morto em casa esta segunda-feira.

"O Presidente da República recebeu com enorme consternação a notícia inesperada da morte do Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Carlos Bernardes, e envia à família enlutada, nesta hora difícil, as mais profundas e sentidas condolências, que estende a todo o Município de Torres Vedras", pode ler-se numa nota publicada no sítio oficial da Presidência da República na Internet.

Carlos Bernardes, 53 anos, era presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras desde 1 de dezembro de 2015.

O autarca foi encontrado morto em casa esta segunda-feira, confirmou fonte oficial do município à agência Lusa.

A mesma fonte não adiantou as circunstâncias em que ocorreu a morte do autarca eleito pelo Partido Socialista.

Fonte da GNR disse que Carlos Bernardes foi encontrado morto numa cama na sua residência, no Turcifal, com ferimentos de arma branca no pescoço. Foi encontrada também uma faca junto ao corpo.

Questionado sobre eventuais indícios de crime na habitação, a mesma fonte não quis avançar informações.

Em março, a comissão política de Torres Vedras do PS aprovou a recandidatura de Carlos Bernardes à presidência do município, no distrito de Lisboa, nas autárquicas deste ano.

"Dentro da minha disponibilidade, continuo a servir o partido e a minha terra", afirmou então o autarca, prometendo um "trabalho de continuidade" e apontando as prioridades do próximo mandato.

Carlos Bernardes ganhou pela primeira vez a corrida à presidência da câmara em 2017 e foi vice-presidente entre 2005 e 2015.

Em 2015, assumiu o cargo de presidente quando o então líder do executivo, Carlos Miguel, renunciou ao mandato para assumir funções no Governo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+