Tempo
|
Tudo sobre o EURO 2020 Últimas Notícias
Tudo sobre o EURO 2020 Últimas Notícias
A+ / A-

FC Porto

Sérgio Conceição reclama penálti e deixa recado aos árbitros para a reta final

22 abr, 2021 - 23:08 • Redação

"Quem está sentado numa cadeira consegue ver perfeitamente que é penálti", argumenta o técnico do FC Porto sobre um lance ao cair do pano. Sérgio avisa que, numa altura em que todos os pontos contam, as equipas de arbitragem têm de estar à altura.

A+ / A-

Sérgio Conceição considera que ficou por assinalar uma grande penalidade para o FC Porto no final do jogo com o Vitória de Guimarães.

Os portistas venceram, por 1-0, no entanto, o treinador assinala que um lance podia ter mudado a história da partida. Por isso, no seu entender, o videoárbitro (VAR) devia ter assinalado o penálti que o árbitro não viu.

"Naqueles lances em que deve haver intervenção do VAR, não estão a cair para o nosso lado. No lance final do Francisco [Conceição], há um desvio claro com o braço. Acredito que para o árbitro seja difícil, porque é um lance muito rápido, mas quem está sentado numa cadeira consegue ver perfeitamente que é penálti. E antes, numa falta em que há um livre e depois o Nanú encurta e a bola bate-lhe no braço, aí é livre e dentro da área não é penálti", critica o técnico, em declarações à Sport TV.

Para Sérgio Conceição, as equipas de arbitragem denotam "falta de critério". Algo que se torna mais grave considerando que faltam seis jornadas para o final do campeonato e todos os pontos contam. O Vitória podia ter empatado a seguir e o penálti teria marcado o encontro:

"É muito importante que todas as equipas estejam bem. E quando a equipa de arbitragem não está bem, há quem a ajude. Estes pontos são importantes para a definição dos nossos objetivos, que é ser campeão, porque continuamos a acreditar que é possível. É importante que toda a gente esteja bem, sóbria, para esta parte final do campeonato, para que o campeonato seja decidido nas quatro linhas e nada mais do que isso."

O VAR Bola Branca concorda que ficou por assinalar penálti para o FC Porto. "Mumin abre o braço à procura da bola", explica Paulo Pereira, que deu nota 2 à atuação de Tiago Martins, árbitro principal da partida.

Sérgio preferia estar à frente


O FC Porto conseguiu, em quatro jornadas, reduzir a desvantagem para o Sporting de 10 para quatro pontos. Ainda assim, Sérgio Conceição preferia estar na posição dos leões, a correr ofegante quando as pernas já cansam para não permitir que os de trás ultrapassem.

"Eu preferia estar à frente e ter essa desvantagem, não me importava nada. Temos de ganhar os nossos jogos e os nossos pontos e, no fim, far-se-á as contas. Esta fase final do campeonato está difícil. As diferentes equipas lutam por objetivos e, sinceramente, fica mais difícil ganhar jogos. Vamos olhar para nós, para o que temos de fazer. Nós é que temos de correr atrás do prejuízo. Preferia estar à frente", sublinha.

Sobre o triunfo, por 1-0, sobre o Vitória de Guimarães, Sérgio Conceição reconhece que "a primeira parte não foi boa". A equipa esticava o jogo demasiado cedo ou cruzava sem critério e, depois, perdia o duelo ou a segunda bola, segundo a análise do treinador do FC Porto:

"Devíamos segurar, circular, ligar mais o jogo. Ter mais paciência até encontrar o espaço que queríamos. Estivemos sempre seguros defensivamente, tirando uma ocasião no início do jogo, mas estivemos sempre atentos às saídas rápidas do Vitória. A partir do momento em que controlámos o jogo, criámos cinco, seis ocasiões para fazer golo."

Na etapa complementar, "o jogo teve um só sentido" e o FC Porto teve "oportunidades para fazer mais do que um golo". Apesar de dar mérito ao Vitória "pela organização defensiva, principalmente nos primeiros 45 minutos", Sérgio defende que os dragões são "justíssimos vencedores".

"Não com grande espetacularidade, mas a vitória foi justa e podíamos ter feito mais um ou outro golo", destaca o treinador do FC Porto, à Sport TV.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+