Tempo
|

Covid-19 em Portugal

Há mais 14 concelhos no “vermelho” e 13 em risco de retroceder no desconfinamento

23 abr, 2021 - 14:56 • Joana Gonçalves

No total, são 43 os municípios com mais de 120 casos de Covid-19 por 100 mil habitantes, sete nas regiões autónomas.

A+ / A-

A lista de municípios em risco de ver paralisado o progresso no desconfinamento volta aumentar. Há agora mais 14 concelhos com uma taxa de incidência de infeção por SARS-CoV-2 superior a 120 casos por cada 100 mil habitantes, a linha vermelha traçada pelo Governo.

Alijó, Alpiarça, Arganil, Baião, Cabeceiras de Basto, Castelo de Paiva, Cinfães, Coruche, Fafe, Funchal, Marco de Canaveses, Melgaço, Paços de Ferreira, Penafiel, Peso da Régua, Sever do Vouga, Tabuaço, Vila Pouca de, Aguiar e Vila Real de Santo António são as novas adições.

Por outro lado, Alandroal, Miranda do Corvo, Olhão, Penalva do Castelo e Vila Franca de Xira apresentam uma redução de casos de Covid-19 e abandonam a mesma lista.

No total, são 43 os municípios em vigilância, sete nas regiões autónomas da Madeira e Açores. Deste grupo, 13 concelhos apresentam mais de 240 casos de Covid-19 por 100 mil habitantes e estão, por isso, em risco de dar um passo atrás no desconfinamento.

Com uma incidência cumulativa igual a zero estão 65 concelhos, mais três que na semana anterior. Este indicador não quer dizer, necessariamente, que os municípios estejam completamente livres de casos. É possível, no entanto, concluir que a situação epidemiológica está controlada nestes concelhos.

Cerca de 38% dos municípios portugueses resgistam um aumento de incidência de infeção por SARS-CoV-2. No total, são 116 os concelhos com acréscimo de casos de Covid-19, entre os dias 7 e 20 de abril.

Dez municípios em pausa no desconfinamento

Atualmente, são seis os concelhos "congelados" na segunda fase de desconfinamento: Alandroal, Albufeira, Carregal do Sal, Figueira da Foz, Marinha Grande e Penela.

Em quatro concelhos o Governo decidiu adotar medidas mais drásticas, por terem uma incidência de 240 casos positivos, ou mais, por cada 100 mil habitantes. Tratam-se dos concelhos de Moura, Odemira, Portimão e Rio Maior, que recuaram para a primeira fase de desconfinamento.

Os restantes 268 concelhos de Portugal continental avançam para a terceira fase de desconfinamento.

A Direção-Geral da Saúde divulga, desde dia 16 de novembro, o mapa de incidência cumulativa de infeção por município. O indicador corresponde ao número de novos casos nos últimos 14 dias por 100 mil habitantes.

Este é um dos três critérios adotados pelo Governo português na avaliação de risco de infeção de cada concelho. Foram definidos quatro níveis de risco: moderado, elevado, muito elevado e extremamente elevado.

Os níveis diferem em número de incidência. Municípios com incidência inferior a 240 casos por 100 mil habitantes integram a lista de risco moderado.

Na lista de risco elevado entram os concelhos com uma incidência entre 240 e 480 casos por 100 mil habitantes. Segue-se o risco muito elevado, entre 480 e 960.

No nível máximo de risco - extremamente elevado - estão os concelhos com mais de 960 casos por 100 mil habitantes.

Matriz de Risco Covid-19

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Simon
    23 abr, 2021 Lagos 17:31
    Pois aqui na minha cidade 3 em 5 pessoas nem usa máscara, e a maior parte é estrangeiro ou estudante, as forças não querem saber ou viram a cara pro lado, enquanto uns tentam minimizar outros não querem saber até que calhe a eles...
  • Joao Santos
    23 abr, 2021 Do mundo dos vivos 14:51
    O que estão a fazer agora no desconfinamento por regiões mais afetadas, era o que deveria ter sido logo ao principio, nem a economia ficava tão afetada. Vamos ver se continua assim, não se afeta o todo do território, mas sim aquele que é mesmo necessário.

Destaques V+