Tempo
|
A+ / A-

Covid-19: UE quer vacinar 70% dos adultos até julho

23 abr, 2021 - 16:51 • Redação, com Lusa

Anteriormente, a meta tinha sido definida até final do verão. Esta é a percentagem considerada necessária para garantir a imunidade de grupo.

A+ / A-

Veja também:


A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, antecipa para julho a meta de vacinar 70% dos adultos contra a covid-19 na União Europeia (UE).

“Estou confiante de que teremos doses suficientes para vacinar 70% de todos os adultos da UE já em julho”, declarou esta sexta-feira Von deer Leyen durante uma visita à fábrica da BioNTech/Pfizer em Puurs, Bélgica.

Anteriormente, a União Europeia previa que 70% dos adultos estivessem vacinados até final do verão. Esta é a percentagem considerada necessária para garantir a imunidade de grupo.

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) aprovou, esta sexta-feira, um aumento da capacidade de produção de vacinas da BioNTech/Pfizer e Moderna na União Europeia.

O comissário europeu do Mercado Interno afirmou que o aumento da produção na Europa vai permitir disponibilizar 410 milhões de vacinas aos Estados-membros neste segundo trimestre, assegurando o objetivo de vacinar 70% dos adultos até julho.

“No segundo trimestre, teremos 410 milhões de doses de vacinas [contra a covid-19] que serão fornecidas a todos os Estados-membros. Vamos multiplicar o número de vacinas por quatro, o que dá uma boa noção desta aceleração” da produção do fármaco na UE, avançou Thierry Breton.

O comissário falava numa audição conjunta na Comissão de Assuntos Europeus, na Comissão de Saúde e na Comissão Eventual para o acompanhamento da aplicação das medidas de resposta à pandemia da doença covid-19 e do processo de recuperação económica e social, sobre a estratégia de vacinação na União Europeia (UE).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+