Tempo
|
Autárquicas 2021
38,13%
61Câmaras
18,14%
35Câmaras
14,14%
17Câmaras
5,6%
7Câmaras
5,39%
7Câmaras
3,14%
0Câmaras
2,12%
2Câmaras
1,32%
0Câmaras
0,41%
0Câmaras
7,54%
4Câmaras
  • Freguesias apuradas: 2232 de 3092
  • Abstenção: 39,60%
  • Votos Nulos: 1,67%
  • Votos em Branco: 2,41%

A+ / A-

Seis concelhos fazem pausa no desconfinamento e quatro recuam. Saiba o que pode e não fazer

15 abr, 2021 - 18:53 • Filipe d'Avillez

O Governo tinha avisado e Costa anunciou hoje que os concelhos que se mantém em níveis de risco não avançam para a próxima fase de desconfinamento.

A+ / A-

Veja também:


Seis concelhos não avançam para a terceira fase de desconfinamento no dia 19 de abril, anunciou esta quinta-feira António Costa, e há outros quatro concelhos em que as restrições vão mesmo ser agravadas.

Segundo explicou António Costa, não avançam para a terceira fase Alandroal, Albufeira, Carregal do Sal, Figueira da Foz, Marinha Grande e Penela . Numa primeira fase Beja também foi incluída, mas a DGS reviu entretanto os cálculos e retirou o concelho da lista.

O primeiro-ministro explicou ainda que voltam às regras anteriores da primeira fase de desconfinamento Moura, Odemira, Portimão e Rio Maior, por estarem neste momento com mais de 240 casos por 100 mil habitantes.

Neste concelhos voltam a fechar as esplanadas e a venda ao postigo, por exemplo. Contudo, não só as escolas não voltam a fechar, como a reabertura para o ensino presencial no secundário e superior avança, tal como no resto do país.

Para estes 4 que recuam para a primeira fase vai existir a proibição de circulação para fora do concelho , salvo para as exceções já conhecidas. "Nessas exceções não existe ir às compras noutro concelho, nem ir a um restaurante noutro concelho", explicou António Costa. A proibição de circular para fora do concelho aplica-se todos os dias, e não apenas ao fim-de-semana.

Há ainda 13 concelhos que estão em situação de risco e que devem sair desse estado nos próximos 15 dias para evitar a mesma sorte, nomeadamente Aljezur, Almeirim, Barrancos, Mêda, Miranda do Corvo, Miranda do Douro, Olhão, Paredes, Penalva do Castelo, Resende, Valongo, Vila Franca de Xira, Vila Nova de Famalicão.

Por outro lado, o primeiro-ministro congratulou-se com o facto de os concelhos de Borba, Cinfães, Figueiró dos Vinhos, Lagoa, Ribeira de Pena, Soure, Vila do Bispo e Vimioso terem conseguido baixar da taxa de 120 casos por cada 100 mil habitantes, podendo assim passar à próxima fase de desconfinamento dentro de quatro dias.

Realidade vem sempre ter connosco

"É preciso compreender que o conjunto das medidas não são prémios nem castigos, são medidas de saúde pública, adotadas para a segurança das próprias populações, segurança de cada uma das pessoas e segurança de todos. É simplesmente a adequação da vida e das formas de viver à situação da pandemia nestes concelhos", explicou o primeiro-ministro.

António Costa fez questão de expressar a sua solidariedade com as populações afetadas e sobretudo com os autarcas. "Conto com eles e eles sabem que podem contar com o Governo para travarmos em conjunto esta batalha. Mas eles nunca perdoariam ao Governo fechar os olhos, fingir que não conhecíamos esta realidade e daqui a 15 dias estar aqui com uma situação mais grave."

"Há uma coisa que tem de ficar clara. As medidas existem em função da realidade da pandemia e aquilo que nos permite ter o retrato mais claro é precisamente a testagem massiva. Não ganhamos nada em não conhecer a realidade porque ela vem sempre ter connosco, e se não for desta forma mais benigna, chegará da forma mais dolorosa, com pessoas a falecer, a ter cuidados hospitalares, entrar nos cuidados intensivos e sofrer danos irreparáveis à sua saúde", disse ainda António Costa.

Restrições nos concelhos de Moura, Odemira, Portimão e Rio Maior

O Conselho de Ministros detalha, em comunicado, como será o recuo no desconfinamento nos concelhos de Moura, Odemira, Portimão e Rio Maior, que atualmente têm mais de 240 casos de Covid por 100 mil habitantes.

Encerram: Esplanadas, Lojas até 200 m2 com porta para a rua, Ginásios, museus, monumentos, palácios, galerias de arte e similares.

Proibição de: Feiras e mercados não alimentares (por decisão municipal) e modalidades desportivas de baixo risco.

Permite-se o funcionamento de: Comércio ao postigo, salões de cabeleireiros, manicures e similares, após marcação prévia; estabelecimentos de comércio de livros e suportes musicais; parques, jardins, espaços verdes e espaços de lazer; bibliotecas e arquivos.

E os sete concelhos que fazem pausa no desconfinamento?

O Governo aprovou esta quinta-feira um segundo nível de medidas de combate à pandemia nos sete concelhos com mais de 120 casos de Covid por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

Alandroal, Albufeira, Beja, Carregal do Sal, Figueira da Foz, Marinha Grande e Penela ficam na segunda fase de desconfinamento.

Permite-se:

- Funcionamento de lojas até 200 m2 com porta para a rua;

- Feiras e mercados não alimentares (por decisão municipal);

- Funcionamento de esplanadas (com a limitação máxima de 4 pessoas por mesa) até às 22h30 nos dias de semana e até às 13h aos fins de semana;

- Prática de modalidades desportivas consideradas de baixo risco;

- Atividade física ao ar livre até 4 pessoas;

- Funcionamento de ginásios sem aulas de grupo;

- Funcionamento de equipamentos sociais na área da deficiência.

[Notícia atualizada dia 16 às 18h19, com a retirada de Beja da lista de sete concelhos que não avançam para desconfinamento, após revisão dos cálculos pela DGS]

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    17 abr, 2021 Madeira 14:44
    Mas em Portugal isso é moda. "Casa arrombada, ferros nas portas". Então morre um cidadão no SEF, que todos lamentamos, logo querem extinguir este serviço...nos tribunais, nas leis, nas escolas, nas polícias...haja paciência com esta gente. Existem deputados nacionais e regionais a mais, isto não alteram e porquê?

Destaques V+