Tempo
|

Covid-19: Vinte e nove concelhos no "vermelho" e mais de um terço com aumento de incidência

16 abr, 2021 - 15:20 • Redação

No total, 62 municípios apresentam uma incidência de infeção por SARS-CoV-2 igual a zero e 29 concelhos superam a linha vermelha definida pelo Governo.

A+ / A-

Veja também:


Cerca de 38% dos municípios portugueses resgistam um aumento de incidência de infeção por SARS-CoV-2. No total, são 118 os concelhos com acréscimo de casos de Covid-19, entre os dias 31 de março e 13 de abril.

De acordo com o mais recente relatório da Direção-Geral da Saúde (DGS), Vila Franca do Campo (1.312) e Nordeste (1.049), ambos na ilha de São Miguel, nos Açores, apresentam, para além do maior aumento, também a maior taxa de incidência cumulativa de Covid-19 a 14 dias por 100 mil habitantes. Seguem-se Odemira, Machico, Barrancos, Resende e Portimão.

No lado oposto da tabela estão 62 municípios, com uma incidência cumulativa igual a zero. Este indicador não quer dizer, necessariamente, que os municípios estejam completamente livres de casos. É possível, no entanto, concluir que a situação epidemiológica está controlada nestes concelhos.

À frente da linha vermelha definida pelo Governo - 120 mil casos por 100 mil habitantes - situam-se 29 concelhos, seis nas regiões autónomas da Madeira e Açores e 23 em Portugal continental.

O primeiro-ministro tinha já atualizado esta lista na quinta-feira, dia em que anunciou que quatro municípios - Moura, Odemira, Portimão e Rio Maior - voltam a adotar as regras da primeira fase de desconfinamento e seis mantém as atuais e não avançam, por isso, para a próxima fase.

Os concelhos de Borba, Cinfães, Figueiró dos Vinhos, Lagoa, Ribeira de Pena, Soure, Vila do Bispo e Vimioso apresentam um decréscimo da taxa de incidência, agora inferior a 120 casos por cada 100 mil habitantes, e podem assim prosseguir com o desconfinamento como previsto inicialmente.

A Direção-Geral da Saúde divulga, desde dia 16 de novembro, o mapa de incidência cumulativa de infeção por município. O indicador corresponde ao número de novos casos nos últimos 14 dias por 100 mil habitantes.

Este é um dos três critérios adotados pelo Governo português na avaliação de risco de infeção de cada concelho. Foram definidos quatro níveis de risco: moderado, elevado, muito elevado e extremamente elevado.

Os níveis diferem em número de incidência. Municípios com incidência inferior a 240 casos por 100 mil habitantes integram a lista de risco moderado.

Na lista de risco elevado entram os concelhos com uma incidência entre 240 e 480 casos por 100 mil habitantes. Segue-se o risco muito elevado, entre 480 e 960.

No nível máximo de risco - extremamente elevado - estão os concelhos com mais de 960 casos por 100 mil habitantes.

Matriz de Risco

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+