Tempo
|
A+ / A-

Boavista reticente face à possível redução da I Liga para 16 equipas

13 abr, 2021 - 16:04 • Lusa

Vítor Murta, presidente do Boavista, diz que existem outras prioridades, como "uma divisão das receitas mais equitativas".

A+ / A-

O presidente do Boavista mostrou-se reticente face à eventual redução da I Liga de futebol para 16 equipas, em vez das atuais 18, afirmando haver "coisas mais importantes", como distribuir melhor as receitas.

VÍtor Murta falava à margem da inauguração do remodelado lar da formação ‘axadrezada’, designado Habitat da Pantera, que funciona num edifício de quatro pisos anexo ao topo norte do Estádio do Bessa, no Porto, e tem nove quartos, cozinha, casa de banho e, agora, uma sala de estar e outra de lazer.

"Ainda não recebemos a proposta, mas antes de pensarmos nisso temos de pensar noutras coisas que são mais importantes. Acima de tudo, que haja uma divisão das receitas mais equitativas", precisou o líder boavisteiro.

A diminuição do quadro competitivo da I Liga, com redução de 18 para 16 equipas a partir da temporada 2022/23, é uma das propostas de alteração que a Liga Portuguesa de Futebol Profissional está a equacionar, segundo anunciou o organismo no dia 7 deste mês.

"Há uma ‘décalage’ enorme de receitas entre o Boavista e outros clubes com a nossa dimensão", apontou Vítor Murta, referindo também que alguns desses clubes beneficiam de "fontes de receita", que não especificou, e que os ‘axadrezados’ não têm.

Vítor Murta reforçou o seu pensamento observando que tal proposta "não está ainda bem pensada".

"Vejo com grande dificuldade a alteração do quadro competitivo" da I Liga, concluiu.

Vítor Murta afirmou também que o acionista maioritário da SAD boavisteira desde esta temporada, Gerard López, irá continuar "independentemente do que aconteça", para depois acrescentar ter "a certeza de que o Boavista vai estar a competir na I Liga" na próxima época.

O Boavista ocupa o 15.ª posto da tabela classificativa da I Liga de futebol, com 25 pontos, ao cabo de 26 jornadas. O lar da formação do Boavista foi inaugurado em 2004 e tem servido para acolher atletas jovens oriundos de outras regiões portuguesas e de outros países, que não têm casa própria.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+