Tempo
|
A+ / A-

Rui Pedro Soares

Belenenses SAD contra a proposta da Liga para reduzir clubes

08 abr, 2021 - 18:40 • Redação

O presidente Rui Pedro Soares aponta em 35 milhões de euros de prejuízo para clubes que não precisam de ver reduzida a dimensão do campeonato. "Nós não vamos rasgar contratos nem vender gato por lebre", afirma.

A+ / A-

Rui Pedro Soares, presidente da Belenenses SAD, compreende a necessidade de reduzir o números de jogos na temporada para proteger as equipas que estão nas competições europeias, mas discorda com a proposta da Liga de Clubes de reduzir o campeonato de 18 para 16 equipas.

"Temos de proteger os clubes que estão nas competições europeias, mas por outro lado não contribuir para o aumento do desemprego de jogadores, 'staff' e até árbitros e não ter impacto nas contas das outras equipas que estão na I Liga. A receita televisiva é de 175 milhões de euros pelo campeonato e se reduzirmos falamos de 35 milhões de prejuízo. Estas coisas têm de ser pensadas e partilhadas, para que a decisão final seja correta", afirmou.

Numa conferência de imprensa virtual, o dirigente fala em "vender gato por lebre" e coloca as operadores televisivas na equação.

"Reduzindo de 18 para 16, haverá 240 jogos em vez de 306. No início de 2016 a Belenenses SAD vendeu à operadora NOS 17 jogos em casa por época. Reduzindo o número de jogos, que impacto é que isso vai ter? Nós não vamos rasgar contratos nem vender gato por lebre. Uma decisão desta natureza não pode ser tomada sem ter em conta os desejos das operadoras televisiva", continuou.

Rui Pedro Soares recorda que há mais competições internas para além do campeonato e que a solução não deverá passar por reduzir clubes na I Liga.

"Penso que ninguém é contra este objetivo de proteger as equipas portuguesas que disputam provas europeias. A Belenenses SAD é a favor desse apoio e contribuirá para tal. Mas há outros 12 clubes que não precisam de reduzir jogos, temos de encontrar um modelo que defenda os 18 por igual. Não jogamos só a Liga, há a Taça de Portugal e a Taça da Liga", recorda.

Redução proposta para 2022

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) propôs a redução do campeonato de 18 para 16 equipas na temporada 2022/23, com o intuito de evitar sobrecarga do calendário, face à proximidade do Mundial 2022, no Catar. Esta alteração permitiria "a preparação do novo ciclo da UEFA 2024/2027", lê-se em comunicado.

A LPFP também propõe a criação de um "play-off" entre o terceiro e o quarto classificados da II Liga, a uma partida, em casa do primeiro.

O vencedor disputaria, depois, um segundo "play-off" frente ao 16.º classificado da I Liga, com o acesso ao principal escalão em jogo. Este mesmo formato da II Liga seria, então, replicado para a Liga 3, nova competição que encaixará entre a II Liga e o Campeonato de Portugal e que ficará ao abrigo da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • J M
    09 abr, 2021 Seixal 15:16
    Reduzir o número de equipas para evitar uma sobrecarga de jogos, face à proximidade do Mundial 2022? Estão preocupados com os jogadores estrangeiros que jogam em Portugal e vão ao mundial? Sim, porque a grande maioria dos jogadores da nossa selecção joga no estrangeiro. Não estou a ver as federações de Espanha, Alemanha, Inglaterra, França, etc. a reduzirem o número de equipas e de jogos dos seus campeonatos para “evitar uma sobrecarga do calendário, face à proximidade do Mundial 2022”.

Destaques V+