Tempo
|
A+ / A-

Bispo do Porto. “A eucaristia começa no altar, mas consuma-se na rua e na sociedade”

01 abr, 2021 - 17:54 • Henrique Cunha

O prelado aproveitou a celebração de Quinta-feira Santa para recordar que os padres devem caracterizar-se “pela afabilidade, disponibilidade, generosidade, desprendimento, zelo missionário, preocupação pelo bem de todos e cada um, misericórdia e sintonia de corações”.

A+ / A-

O bispo do Porto lembrou, esta quinta-feira, durante a Missa da Ceia do Senhor, a importância de os cristãos estarem onde “for necessário”.

“A eucaristia começa no altar, mas consuma-se na rua e na sociedade”, disse D. Manuel Linda.

"Nós, os sacerdotes, ou somos imagem transparente deste amor misericordioso, crucificado de Deus, ou não atingimos o limiar da razão pela qual existimos”, declarou.

O prelado aproveitou a celebração desta quinta-feira para recordar que os padres devem caracterizar-se “pela afabilidade, disponibilidade, generosidade, desprendimento, zelo missionário, preocupação pelo bem de todos e cada um, misericórdia e sintonia de corações”.

Na sua homilia, D. Manuel Linda lembrou também aos leigos que falharão “se não vos parecerdes com o Mestre no espírito de sacrifício, resistência anímica quando se encontra oposição, ternura familiar, diálogo que desarma os possíveis conflitos, testemunho de fé por obras e palavras, vivência da paz, altruísmo, dedicação aos pobres, desprendimento, espírito de sacrifício, esperança”.

"Se recebemos Jesus, convertemo-nos em Jesus. Isto é: no seu modo de amar e de servir” e que “a Eucaristia não é, portanto, um mero gozo íntimo, um simples deleite espiritual, um quietismo passivo e descomprometido."

“A eucaristia começa no altar, mas consuma-se na rua e na sociedade, aí onde for necessário realizar um qualquer lava-pés”, sublinhou D. Manuel Linda.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+