Tempo
|
A+ / A-

Apoios sociais

CDS diz que decisão de promulgar apoios é "sensata" e "humanista"

28 mar, 2021 - 20:05 • Hélio Carvalho

O presidente do partido, Francisco Rodrigues dos Santos, considerou o Presidente da República "escolheu estar ao lado dos mais vulneráveis desta crise pandémica".

A+ / A-

O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, considerou que a decisão do Presidente da República de promulgar os apoios urgentes a famílias e trabalhadores independentes, anunciada este domingo, foi "sensata e humanista".

Em comunicado, publicado no sua página do Facebook, Rodrigues dos Santos reagiu à decisão numa "questão de justiça social". "Marcelo Rebelo de Sousa escolheu estar ao lado dos mais vulneráveis desta crise pandémica", disse.

Em causa está a promulgação por parte do Presidente de três diplomas aprovados pelo parlamento, que reforçam os apoios no âmbito da pandemia. O Governo, no entanto, considera os apoios inconstitucionais por violarem a norma travão.

Francisco Rodrigues dos Santos considerou, tal como o Bloco de Esquerda, que o Governo pressionou Marcelo Rebelo de Sousa para que este vetasse os três diplomas aprovados por toda a oposição, e repetiu a expressão usada na sexta-feira: "o Governo sofre de apagões democráticos quando discorda da vontade do parlamento."

"Valeu a Portugal o seu Presidente, por ter acendido uma luz de esperança para muitos portugueses e por ter impedido mais um boicote governamental ao parlamento", salientou o presidente do CDS-PP.

O líder do partido vincou ainda que "perante a urgência da realidade social que vivemos, é dever do Governo apoiar com tudo o que pode as famílias com dificuldades, os trabalhadores independentes e os sócios gerentes."
E usou ainda palavras duras para descrever uma eventual vontade do Governo, já manifestada antes da promulgação dos apoios, de levar a decisão ao Tribunal Constitucional. "Se o Governo iniciar uma batalha jurídica no Tribunal Constitucional para impedir a atribuição destes apoios sociais, estará a insultar todos os que mais sofrem e precisam do Estado para ter uma vida com dignidade. Se isso acontecer, a censura do país não se calará. E a direita social que o CDS-PP representa - e que aprovou estes três diplomas - também não!"
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+