Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Covid-19

Marcelo apoia retoma do ensino presencial e espera abertura sem "avanços e recuos"

22 mar, 2021 - 18:12 • Lusa

"A escola tem um papel essencial. Foi bem escolhido da parte do Governo - e teve o apoio do Presidente da República - o ser a escola uma peça essencial no processo de abertura", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

A+ / A-

Veja também:


O Presidente da República visitou hoje uma escola básica em Lisboa em sinal de apoio à retoma do ensino presencial como "peça essencial no processo de abertura", que disse esperar que não seja de "avanços e recuos".

Uma semana depois da reabertura de creches, jardins de infância e escolas do primeiro ciclo, Marcelo Rebelo de Sousa esteve cerca de duas horas na Escola Básica Parque Silva Porto, em Benfica, que tem ensino bilingue de alunos surdos.

Segundo o chefe de Estado, esta visita "quer significar a importância do ensino presencial, do convívio presencial" e "para isso foi escolhida uma escola, um agrupamento escolar muito especial", que "é um exemplo de integração a todos os níveis e também de afirmação do papel da escola".

"A escola tem um papel essencial. Foi bem escolhido da parte do Governo - e teve o apoio do Presidente da República - o ser a escola uma peça essencial no processo de abertura", afirmou o Presidente aos jornalistas, admitindo que o estado de emergência poderá continuar até maio.

Marcelo Rebelo de Sousa participou em trabalhos de artes plásticas, numa aula de percussão com alunos surdos e assistiu sentado entre as crianças à Hora do Conto com língua gestual, no final da qual um rapaz lhe perguntou: "Por que é que tu fechaste as lojas?".

"Estão quase a abrir. A algumas já se pode ir comprar, mas qualquer dia já podem abrir mais, depois das férias da Páscoa já abrem mais", respondeu o Presidente da República.

Em declarações à comunicação social, o chefe de Estado quis deixar "uma palavra de esperança" em relação ao processo de desconfinamento e manifestou o desejo de que "seja possível depois da Páscoa ir abrindo de acordo com o calendário já conhecido as escolas de todo o país, e a atividade social, comunitária, económica de todo o país".

"Para isso é fundamental que os portugueses, quer no período que se avizinha da Páscoa, quer depois, com a abertura progressiva, compreendam a importância do passo que está a ser dado. Todos nós queremos que seja um passo o mais definitivo possível, que não seja um avanço para um recuo, porque já tivemos a experiência de avanços e recuos", acrescentou.

Portugal regista esta segunda-feira mais 16 mortes e 248 novos casos de Covid-19, avança o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). É o menor número de novas infeções desde 1 de setembro.

Portugal tem uma incidência de 81,3 casos de Covid-19 por 100 mil habitantes e o índice de contágio R(t) está nos 0.89, indica a Direção-Geral da Saúde. Estes valores estão dentro dos parâmetros "verdes" definidos para manter o desconfinamento.

O único município que na semana passada apresentava risco extremo de infeção por Covid-19 registou, nos últimos dias, uma quebra no número de novos casos. O Funchal contabiliza, de acordo com a última atualização da Direção-Geral da Saúde (DGS), uma incidência de 915 casos por 100 mil habitantes.

Portugal volta, assim, a abandonar o risco máximo, com cerca de 96% dos municípios com uma incidência cumulativa a 14 dias inferior a 240 casos por 100 mil habitantes. No total, são 37 os concelhos com incidência igual a zero.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+