Tempo
|
Três por Todos - Assista ao direto Três por Todos - Participe nos leilões
Tudo sobre o EURO 2020 Últimas Notícias
Tudo sobre o EURO 2020 Últimas Notícias
A+ / A-

Desconfinamento começa segunda-feira, confirma André Ventura

10 mar, 2021 - 12:58 • Redação

Ensino pré-escolar, vendas ao postigo e abertura de livrarias serão as primeiras medidas a avançar na fase de desconfinamento, indica o deputado. Governo apresenta amanhã o plano de desconfinamento.

A+ / A-

Veja também:


O deputado André Ventura confirma que desconfinamento começa segunda-feira, dia 15 de março, com ensino pré-escolar, vendas ao postigo, abertura de livrarias e eventual alívio de restrições nas deslocações.

"A ideia com que ficámos é que vai já haver um sinal de desconfinamento na segunda-feira, quando entrar em vigor o próximo estado de emergência", declarou André Ventura, do Chega, após uma audiência com o Presidente da República.

De acordo com o deputado, "o Governo entende que tem condições para dar já algum sinal de desconfinamento, que pode passar pelo pré-escolar, pela venda ao postigo e, eventualmente, a permissão de circulação em horário normal, depois com algumas horas limite de recolher obrigatório, diferenciando a semana e o fim de semana".

A partir de segunda-feira começa uma primeira fase de "desconfinamento ainda muito leve", diz André Ventura "e, numa segunda fase, abrindo progressivamente a outros setores".


O Chega defende que restaurantes, pelo menos com esplanada, deviam abrir já, mas não foi essa a ideia com que André Ventura ficou após as reuniões com o Governo e com o Presidente da República, a propósito da renovação do estado de emergência e do plano de desconfinamento.

Quanto a cabeleireiros e outros estabelecimentos comerciais, não estava ainda fechado quando será a reabertura, diz o deputado.

O Governo poderá avançar com um "diploma próprio" para impor restrições sem recorrer ao estado de emergência, adianta André Ventura.

"Abordámos a questão do enquadramento jurídico [das medidas]. É consensual entre todos, partidos, Presidente da República e Governo, que o estado de emergência está a ser banalizado", salientou.


O Governo apresenta amanhã, quinta-feira, o plano de desconfinamento, com levantamento de restrições impostas devido à pandemia de Covid-19.

A Direção-Geral da Saúde atualizou indicações sobre a vacinação Covid-19, com os professores e pessoal não docente a integraram os grupos prioritários.

A vacina Astrazeneca também passa a ser recomendada para todos os maiores de 18 anos e sem limite de idade.

"Os novos estudos conhecidos mostraram agora, com base em metodologias científicas robustas, que a vacina da AstraZeneca é eficaz em indivíduos com 70 ou mais anos, quer na prevenção da COVID-19, quer na redução das hospitalizações por esta doença, reforçando os dados iniciais de que esta vacina é capaz de produzir anticorpos eficazes no combate à infeção por SARS-CoV-2, mesmo em pessoas mais velhas", lê-se no comunicado.

Evolução da covid-19 em Portugal

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Filipe
    10 mar, 2021 évora 13:53
    As outras crianças de tenra idade continuam no gueto nazi , à espera que a reabertura da economia arrebente-lhes o futuro próximo . Não conheci em Portugal governos ou monarquia tão fascista e incompetente como esta . O facto de votarem neles não quer dizer que fazem tudo bem ... Cavaco foi para a rua e depois foi eleito com poucas recordações de bom Presidente . Este atual , só mais tarde vão rasgar as selfies tiradas , tal e qual como Mário Soares pegou fogo em França à bandeira Nacional .

Destaques V+