Svetlana Tikhanovskaia: "Mesmo que eu desapareça, a revolução não vai parar"

08 mar, 2021 - 08:10 • José Pedro Frazão

Numa entrevista à Renascença, Svetlana Tikhanovskaia diz que a revolução na Bielorrússia "é uma maratona", mas confirma que o processo está em curso "com pessoas da nomenclatura, pessoas da polícia de choque e uma divisão na elite". Svetlana, que deixou o trabalho doméstico para assumir o papel do marido, preso há nove meses, refere o 25 de Abril como exemplo para a revolução bielorrussa: "As mudanças podem acontecer muito rapidamente. Ninguém sabe o que leva a essa explosão de gente que pode vir de todo o país. É como no vosso país. Ninguém talvez tivesse imaginado que o regime cairia de uma forma tão rápida quando a polícia tomou o partido do povo."

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.