Covid-19 parou o hóquei do Sporting. O desafio do regresso a uma realidade "incontrolável"

04 mar, 2021 - 07:00 • Sofia Freitas Moreira (Edição e Imagem) Pedro Castro Alves (Entrevistas)

Duas semanas em isolamento, três jogos adiados e quatro membros da equipa infetados. O hóquei em patins do Sporting teve de ficar isolado no final de janeiro, após a deteção de casos positivos de Covid-19 na equipa. Depois do treinador, os atletas Telmo Pinto, Pedro Gil e Ângelo Girão testaram também positivo, mas foi Paulo Freitas quem sentiu mais os sintomas da doença. Quase um mês depois, o Sporting regressou para confrontos decisivos com os dois primeiros classificados. À Renascença, a equipa leonina explica como decorreu o processo de readaptação aos treinos e ao ritmo competitivo, depois da inesperada interrupção na vida normal destes atletas profissionais.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.