Tempo
|
A+ / A-

“Nas suas mãos, a floresta portuguesa”. Costa oferece bonsai a Marcelo como símbolo de um combate para durar

04 mar, 2021 - 16:14 • Hélio Carvalho

No final do Conselho de Ministros dedicado ao tema das florestas, o Presidente da República recebeu uma pequena árvore como oferenda pela sua participação. Planta simboliza a continuidade do combate contra incêndios florestais.

A+ / A-

O Conselho de Ministros desta quinta-feira acabou com um tom simbólico e jovial, quando o primeiro-ministro entregou um bonsai ao Presidente da República. António Costa salientou que a árvore era um símbolo da “perseverança” que a floresta e o país têm de ter, antes de entregar a pequena árvore a Marcelo Rebelo de Sousa.

“Como símbolo da perenidade deste combate, da perseverança que temos que ter, queria depositar nas mãos do senhor Presidente da República, em forma de bonsai”, disse Costa.

O primeiro-ministro afirmou que a planta simboliza também a ideia de “uma Quercus racional, já centenária” e é “um exemplo daquilo que nós temos de ter: uma floresta que dure para além das nossas próprias existências, quer nas funções políticas que exercemos, quer na própria vida.”

Para elevar ainda mais o simbolismo da ocasião, António Costa afirmou, ao entregar a árvore, que deixava nas mãos de Marcelo ”a floresta portuguesa”.

Os dois falaram depois de uma reunião do Conselho de Ministros, que foi especialmente dedicado ao tema das florestas, e que foi presidido pelo Presidente da República. A ocasião serviu para assinalar o fim do primeiro mandato de Marcelo Rebelo de Sousa, que entrará no seu segundo mandato a partir da próxima semana.

Marcelo Rebelo de Susa elogiou a aprovação de vários diplomas em torno das florestas e disse que foi sobretudo “debatida e apreciada aquilo que é uma estratégia nacional, que visa prevenir, muito mais do que combater os fogos florestais, e intervir naquilo que é decisivo para que haja ou não fogos florestais".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+